Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
TV / EITA!

Absurdo! Repórter da Globo é assaltada ao vivo e preocupa telespectadores: "Roubaram"

Repórter Beatriz Backes, do 'Bom Dia SP', é assaltada durante reportagem ao vivo; veja!

Renata Garre

por Renata Garre

rnogueira_colab@caras.com.br

Publicado em 20/10/2023, às 10h35

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Absurdo! Repórter da Globo é assaltada ao vivo e preocupa telespectadores: "Roubaram" - Reprodução/ Globo
Absurdo! Repórter da Globo é assaltada ao vivo e preocupa telespectadores: "Roubaram" - Reprodução/ Globo

A repórter Beatriz Backes, do Bom Dia São Paulo, teve o celular roubado durante uma reportagem ao vivo nesta sexta-feira (20). Na ocasião, a contratada da Globo falava sobre a lentidão da linha 1-Azul do Metrô, até que a transmissão caiu.

Vale lembrar que Beatriz estava em frente à estação da Luz, centro da capital, quando tudo aconteceu. As informações são do portal Notícias da TV. De acordo com o site, apesar dos apresentadores Rodrigo Bocardi e Sabina Simonato desconfiarem que o aparelho tivesse caído no chão, o assalto foi confirmado por fontes anônimas.

 "O que é isso? Caiu o telefone?", quis saber Bocardi após a interrupção da matéria. "Acho que caiu o telefone da Bia", falou Sabina. "Imaginamos que seja só isso", continuou o comandante da atração jornalística.

Após o ocorrido, a repórter não deu mais as caras no jornal e os profissionais não se pronunciaram sobre o assunto, o que foi motivo de cobrança nas redes sociais. "Sabina, Rodrigo, falem da repórter! Ela estava gravando com o celular. Foi só queda ou roubaram?", questionou um. "A repórter que estava na Luz falando do Metrô... O celular caiu mesmo ou foi roubado? Tive que sair para trabalhar, alguém me conta!", pediu outra. 

REPÓRTER RELATA MOMENTO TENSO EM ISRAEL

Na última quarta-feira (18), o repórter Rodrigo Lopes, enviado da RBS TV, afiliada da Globo, para cobrir o conflito em Israel, conversou com Patrícia Poeta no Encontro e falou sobre a experiência no local, além da preocupação da família que ficou no Brasil. 

"Eu não durmo nos últimos quatro dias, porque a todo momento preciso correr para o abrigo", relatou ele, que explicou que todos os dias, por volta das 20h toca a sirene de alerta e eles precisam ir para o local designado. 

"Quantas vezes já tocou a sirene hoje aí?", quis saber a jornalista. "Hoje ainda não tocou ainda, mas ontem, vocês estão vendo as imagens aí, foi a mais forte explosão que eu ouvi. Eu estava no hotel, tive que correr para o abrigo, cada um dos andares do hotel em que eu estou tem um abrigo e a gente tem um minuto para ir para o bunker", destacou.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!