Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / TRAGÉDIA

Leo Batista encontra a mulher morta na piscina de sua mansão

Tragédia! Leo Batista encontra a mulher morta na piscina de sua mansão; caso está sendo investigado

Redação Publicado em 31/01/2022, às 08h09

Leo Batista encontra a mulher morte na piscina de sua mansão - Reprodução/TV Globo
Leo Batista encontra a mulher morte na piscina de sua mansão - Reprodução/TV Globo

O jornalista Leo Batista, um dos ícones da classe esportiva, viveu um drama neste sábado (30).

É que ao chegar na área externa de sua casa, ele encontrou sua mulher, Leyla Belinaso, morta na piscina. O Corpo de Bombeiros foi acionado e chegou rapidamente ao local, mas já a encontrou sem vida.

O jornalista contou para a polícia que estava dentro da casa. Quando saiu para ver se estava tudo bem, sua esposa estava "segurando um macarrão-bóia já com o rosto dentro da água". As informações são do G1.

Ainda de acordo com as primeiras informações, um médico foi acionado, atestou o óbito e liberou o corpo. O caso foi encaminhado à 32ª DP, na Taquara, na Zona Oeste do Rio, e será investigado como manda o protocolo. 

TRISTEZA

A atriz Carolina Ferraz relembrou uma tragédia familiar, que aconteceu há 40 anos e marcou sua vida. Quando ela tinha apenas 14 anos, seu pai foi brutalmente assassinado e o homem responsável pelo crime nunca foi preso. 

Em entrevista a Reinaldo Gottino, no Link Podcast, ela contou: "Meu pai foi assassinado com seis tiros, uma história muito violenta, trágica. Estouraram a cabeça do meu pai, uma loucura. Ele teve que ser enterrado com caixão fechado". 

Carolina Ferraz disse também que o pai já havia sofrido um atentado antes de ser assassinado e contou quem foi o responsável pelo crime.

"Foi um ex-sócio do meu pai. Ele devia dinheiro, aí começaram a se desentender em relação a esse pagamento. Passou um ano, meu pai sofreu um atentado. Ele ia fazer uma pós-graduação e a família ia passar dois anos fora. Nós desistimos dessa pós por causa do atentado. Seis meses depois, ele foi assassinado saindo do escritório onde trabalhava. Eu tinha 14 anos na época", relembrou.