Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / Namoradas

Bruna Linzmeyer conta como foi se ver apaixonada por uma mulher

Atriz comemora o Dia Internacional do Orgulho LGBT com declaração de amor para Priscila Visman

Redação Contigo! Publicado em 28/06/2018, às 18h35 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Bruna Linzmeyer - Globo/Mauricio Fidalgo
Bruna Linzmeyer - Globo/Mauricio Fidalgo

A atriz Bruna Linzmeyer abriu o seu coração sobre o namoro com Priscila Visman ao celebrar o Dia Internacional do Orgulho LGBT. Em seu Instagram, ela escreveu uma mensagem emocionante sobre como foi se ver apaixonada por uma mulher.

“Por mais que eu não tenha convivido com lésbicas na minha infância-adolescência, o dia que eu me apaixonei, e essa pessoa era uma mulher, não foi uma questão pra mim, nunca foi estranho, nunca me perguntei: ‘Ué, será que eu estou gostando de uma pessoa do mesmo gênero que eu?’”, disse ela.

A artista também contou o que pensa sobre a reação das pessoas ao seu relacionamento. “É estranho, lá no fundo do meu coração, confesso, que essa tenha que ser uma luta. O amor. E me emociono aqui. Penso logo em seguida em todas as realidades não privilegiadas como a minha, realidades de dor e de morte, realidades de interrupção do amor ao longo da nossa história como humanidade. Então sim, hoje vai ter sapatão se beijando na sua timeline, cheias de amor, na rua, lutando, dançando, amando, abrindo caminhos para todas que virão.”

Para finalizar, Bruna se declarou para Priscila. “Pri, minha amor, eu te amo. Obrigada por dar cambalhotas de alegria e vida no meu corpo e no meu coração”.

As duas estão juntas desde o final de 2016.

bom dia, dia! o que escrever, né? esse dia tão tanto. dia de visibilidade de conquistas, de luta, de vidas que dançam e amam. daí só penso em contar com o coração que o clichê amor é amor é tão real. por mais que eu não tenha convivido com lésbicas na minha infância-adolescência, o dia que eu me apaixonei, e essa pessoa era uma mulher, não foi uma questão pra mim, nunca foi estranho, nunca me perguntei “ué será que eu to gostando de uma pessoa do mesmo gênero que eu?” é estranho, lá no fundo do meu coração, confesso, que essa tenha que ser uma luta. o amor. e me emociono aqui. penso logo em seguida em todas as realidades não privilegiadas como a minha, realidades de dor e de morte, realidades de interrupção do amor ao longo da nossa história como humanidade. então sim, hoje vai ter sapatão se beijando na sua timeline, cheias de amor, na rua lutando dançando amando, abrindo caminhos pra todas que virão. vamos juntes, companheires. pri, minha amor, eu te amo. obrigada por dar cambalhotas de alegria e vida no meu corpo e no meu coração . foto @juliarodr.gues

A post shared by bruna linzmeyer (@brunalinzmeyer) on