Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / DESABAFO

Thaila Ayala conta que fugiu de casa aos 15 anos para melhorar de vida: ''Como foi difícil''

Atriz relembra dificuldades longe da família e medo de relações após precisar ficar distante

Redação Contigo! Publicado em 04/11/2020, às 16h24 - Atualizado às 16h25

Com a família reunida em clique, Thaila conta que fugiu de casa - Instagram
Com a família reunida em clique, Thaila conta que fugiu de casa - Instagram

Thaila Ayala usou os perfis nas redes sociais nesta quarta-feira (04) para relembrar um pouco das dificuldades que passou quando ainda era apenas uma menina.  

A artista compartilhou um clique com parte de sua família reunida e contou que, aos 15 anos, fugiu de casa para tentar a vida em São Paulo. Ela explicou que passou por momentos difíceis e que, desde então, não costuma lidar bem com despedidas. 

“Com 15 anos fugi de casa no interior de São Paulo pra tentar a vida na cidade grande. Entrar num ônibus sozinha pra nunca mais voltar, deixando pra trás a família, a escola, os amigos, tudo o que conhecia rumo ao desconhecido, a solidão, ao perigo, a fome, a tristeza e tantas vezes a desesperança... Como foi difícil ser apenas uma menina cheia de sonhos, perambulando por uma cidade grande e fria como São Paulo”, iniciou ela. 

A atriz contou que durantes anos ficou sem previsão de quando poderia ver sua família: “Ou pagava o ônibus ou pagava a comida, conseguia vê-los uma vez no ano e teve vezes que nem isso. Assim fui levando a minha vida por anos, fechada, fazendo o possível pra endurecer meu coração, tentava falar o menos possível com a família pra não sofrer, tentava ir cortando todo laço afetivo, porque ser sozinha me parecia ser mais fácil naquele momento”, continuou.  

RELAÇÕES RASAS: 

Thaila contou que a distância da família fez que seus relacionamentos e amizades fossem quase sempre vazios, pois tinha medo de se entregar totalmente e acabar perdendo as pessoas, mas que hoje aprendeu a ser mais aberta.   

“Levei muito tempo, aliás, tempo demais da conta, numa vida tão curta pra entender que sozinha é ruim demais, que não vale a pena viver essa vida sem a dor da despedida, sem os laços que nos mantém vivos. Que entregar só metade de você faz com que você só viva e receba pela metade e que metade é pouco demais, que merecemos tudo inteiro, que transbordar é a melhor sensação do mundo. Esse texto é pra todos que escolheram estar do meu lado nessa trajetória mesmo tendo tão pouco de mim por tanto tempo, me ajudando a enxergar a beleza de ser inteiro. Amo vocês”, finalizou

Veja: