Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / DESABAFO

Marieta Severo emociona ao falar sobre amizade com Gloria Perez: "A mãe que ela era"

Marieta Severo emociona em documentário ao dar detalhes da longa amizade que mantém com Gloria Perez há décadas

Redação Contigo! Publicado em 28/07/2022, às 17h38

Marieta Severo deu detalhes de sua longa amizade com Glória Perez - Reprodução/Instagram/HBO
Marieta Severo deu detalhes de sua longa amizade com Glória Perez - Reprodução/Instagram/HBO

Marieta Severo foi entrevistada para o documentário Pacto Brutal, que conta detalhes da morte de Daniella Perez, filha da escritora Gloria Perez. Amiga da autora, ela deu detalhes da grande amizade que elas cultivam há anos, expondo também como suas filhas eram muito próximas antes do crime.

“Glória era uma mãe muito atenta. Eu a conheci, ela nem escrevia [novelas] ainda. E a gente sempre ia buscar as crianças na escola e eu ficava interessadíssima nela. Falava: ‘que mulher interessante, inteligente, informada’”, começou a veterana.

Em seguida, Marieta Severo explicou que sua filha Helena Buarque, e Daniella Perez eram bem próximas e frequentavam a casa uma da outra, assim como ela e a escritora. “Ela chamava muito a Lelê [Helena Buarque] pra casa dela e eu tinha uma confiança absurda nela. Eu via a mãe que ela era”.

A artista também não poupou nas palavras ao exaltar Gloria Perez como mãe: “Tudo que você possa falar de um berço extremamente amoroso, positivo, com os melhores valores… É a maneira como a Glória criou a Dani pra ser um ser humano com a dimensão que ela tinha”.

GLÓRIA PEREZ REBATE ASSASSINO DA FILHA

Gloria Perez rebateu as falas de Guilherme de Pádua que tem criticado o seriado Pacto Brutal, produção original do HBO Max que investiga o assassinato de Daniella Perez. Ele classificou a produção como "totalmente parcial", o que gerou uma resposta à altura. 

"A proposta era fugir do sensacionalismo para retratar a verdade dos autos. Era o que eu queria: que as pessoas entendessem porque as muitas versões fantasiosas apresentadas pelos assassinos não se sustentaram diante do júri, e porque os dois foram condenados por homicídio duplamente qualificado", disse ela ao jornal O Globo.