Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / Se deu mal

Leo Lins é demitido do SBT após piada com criança com hidrocefalia: "Crime"

Piada ofensiva de Leo Lins tem grave consequência e humorista é demitido do SBT após envolver Teleton em polêmica; entenda

Redação CONTIGO! Publicado em 04/07/2022, às 15h03

Leo Lins é demitido do SBT após piada com criança com hidrocefalia - Reprodução/Instagram
Leo Lins é demitido do SBT após piada com criança com hidrocefalia - Reprodução/Instagram

O humorista Leo Lins foi demitido do SBT após fazer uma piada ofensiva contra pessoas com deficiência.

Segundo o Em Off, a emissora decidiu terminar o contrato com o famoso depois da repercussão de uma piada feita em um show dele. Membro da equipe do The Noite, de Danilo Gentili, ele foi convocado ao SBT nesta segunda-feira (04).

A decisão foi fortalecida pela menção ao Teleton, campanha anual feita pelo SBT para arrecadar fundos para a AACD, e, segundo informações, não tem volta.

A "piada" em questão tinha o seguinte teor: "Eu acho muito legal o Teleton, porque eles ajudam crianças com vários tipos de problema. Vi um vídeo de um garoto no interior do Ceará com hidrocefalia. O lado bom é que o único lugar na cidade onde tem água é a cabeça dele. A família nem mandou tirar, instalou um poço e agora o pai puxa a água do filho e estão todos felizes". Confira:

POSIÇÃO DA AACD

A associação de caridade fez um posicionamento público bastante duro a respeito do caso e chegou a classificar o "humor" do famoso como um crime.

"A AACD repudia veementemente a 'piada' feita por Leo Lins em vídeo divulgado recentemente nas redes sociais do comediante", diz o comunicado.

E prossegue: "Em uma fala extremamente infeliz e bastante capacitista, ele ataca pessoas com hidrocefalia, chama as pessoas com deficiência de 'crianças com vários tipos de problemas' e mostra desrespeito aos moradores do Ceará".

"A atitude de Leo Lins também configura crime, conforme prevê o artigo 88 da Lei 13.146/2015", finaliza, citando a lei que prevê reclusão de 1 a 3 anos e multa para quem pratica, induz ou incita discriminação contra pessoas com deficiência.

Até o momento, nem o humorista e nem o SBT se pronunciaram oficialmente a respeito do caso.