Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / No meio do caos

Edney Silvestre conta como foi cobrir o 11 de Setembro ao vivo em 2001: "Sentei e chorei"

Repórter que estava em Nova York relata cenas de horror; veja

Redação CONTIGO! Publicado em 11/09/2021, às 10h29

Edney Silvestre conta como foi cobertura do 11 de Setembro em NY - Reprodução/Instagram/Orlando Moreira
Edney Silvestre conta como foi cobertura do 11 de Setembro em NY - Reprodução/Instagram/Orlando Moreira

Edney Silvestre abriu o jogo sobre a cobertura ao vivo do 11 de Setembro neste sábado (11).

Na data em que o atentado terrorista completa vinte anos, o jornalista que foi responsável pela cobertura na Globo contou ao UOL como foi a experiência.

A memória é eterna, segundo ele: "Ninguém esquece o horror, mesmo sem saber a extensão dele. O que eu tinha certeza é que nenhum voo era permitido sobre a ilha de Manhattan, nem de aviões pequenos de treino. Fiquei perplexo. Sabia que não podia ter sido um acidente. Mas... terrorismo? Era difícil de acreditar".

"Quando subi as escadas do metrô, lá pelo fim da noite, depois de todas as reportagens terem ido ao ar, saí na Sétima Avenida e, ao fundo, não havia mais a visão que tive naqueles dez anos morando ali: as torres tinham sumido. Só havia fumaça no lugar delas", relata.

Foi só depois de terminar o dia de trabalho que ele se permitiu desabar: "Na calçada do Hospital Saint Vincent, à esquerda da saída do metrô, fileiras com dezenas de macas e equipes médicas aguardavam a chegada dos feridos. Mas não havia feridos. Fui para meu apartamento, sentei-me e, só então, chorei".

Quase 3 mil pessoas morreram com os ataques às Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, no onze de setembro de 2001.

CELSO PORTIOLLI?

Celso Portiolli teve algo a ver com o Onze de Setembro?

A resposta curta é não, mas o assunto é mais complexo e envolve entender como memes nascem. E a verdade é que eles costumam ganhar vida própria após uma pequena fagulha.