Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / FELIZ ANIVERSÁRIO

Bruninho Rezende diz que o pai Bernardinho é o exemplo e a inspiração de vida: “Te amo”

Capitão da seleção brasileira de vôlei, o atleta comemorou o aniversário do pai que completou 62 anos

Redação Contigo! Publicado em 25/08/2021, às 19h53

Bruninho Rezende diz que o pai Bernardinho é o exemplo e a inspiração de vida: “Te amo” - Reprodução/Instagram
Bruninho Rezende diz que o pai Bernardinho é o exemplo e a inspiração de vida: “Te amo” - Reprodução/Instagram

O atleta Bruninho Rezende fez uma homenagem e tanta ao paizão, Bernardinho Rezende, que completou nesta quarta-feira (25) 62 anos.

Em seu perfil nas redes sociais, o capitão da seleção brasileira de vôlei publicou um registro de um momento especial ao lado do pai.

“Dia do meu melhor amigo, inspiração e exemplo da minha vida!”, disse ele inicialmente.

E, desejou felicitações. “Muita saúde e felicidades! Logo estaremos juntos! Boa sorte por aí! Te amo”, declarou-se.

Nos comentários, Bernardinho fez questão de marcar presença e agradecer o filho. “Obrigado por tudo sempre meu filho, amigo, exemplo e tantas vezes mentor e conselheiro. Te amo", escreveu ele.

INTRIGA E CONFUSÃO

Há exatamente 10 dias, Tóquio dava início às Olimpíadas 2020 e, desde então, muita coisa já aconteceu. A primeira semana dos Jogos foi repleta de vitórias para o Brasil, claro, mas as tretas, gafes e polêmicas também marcaram esse começo da competição.

A primeira controvérsia começou lá no dia 23, quando a Chama Olímpica foi acesa. Devido à pandemia da Covid-19, a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos precisou ser reduzida, portanto, não pudemos presenciar apresentações com muitos dançarinos, como geralmente acontece – e isso foi motivo de alfinetadas. Fernando Meirelles, responsável pela direção da abertura do Rio 2016 fez questão de manifestar sua decepção.

Estou surpreso. Desde que a gente terminou a nossa cerimônia, em 2016, o Japão já estava conversando com a gente, [...] a gente achou que fosse ser a cerimônia mais espetacular, que eles iriam superar Atenas, China e Londres. [...] Eu imagino que eles devam ter criado umas duas ou três cerimônias, o mundo foi mudando, eles tiveram que ir se adaptando e chegaram a essa cerimônia que apresentaram agora, que foi muito simples e muito fria”, disparou ele ao UOL News Olimpíadas 2020.