Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / EP Solo

'Normalidade é o que eu quero passar' - Anitta fala sobre os desafios e reflexões do seu novo EP

Em entrevista exclusiva, a cantora fala sobre beijar várias pessoas, o medo de cobras e do seu papel de fazer as pessoas pensarem

Por Tainá Goulart Publicado em 13/11/2018, às 15h51 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Anitta fala sobre os desafios e reflexões do seu novo EP - João Arraes, Eduardo Bravin e Jorge Allaniz
Anitta fala sobre os desafios e reflexões do seu novo EP - João Arraes, Eduardo Bravin e Jorge Allaniz

Em poucas horas após o lançamento do seu novo EP, Solo,Anitta já era um dos assuntos mais comentados do dia (e do fim de semana!). Não é por menos, afinal, a cantora lançou três músicas de uma vez só, em três línguas diferentes, cada um com um clipe cheio de ‘desafios’.  No vídeo de Veneno, por exemplo, ela aparece deitada e rodeada de cobras. Em Não Perco Meu Tempo, em quase 20 segundos, ela beija muito mais do que 10 pessoas diferentes, com homens, idosos, mulheres, gordas, altas, carecas... “Eu beijei muito (risos)! Nos meus trabalhos, eu gosto de colocar um motivo para a galera debater. Até, porque, ultimamente, as pessoas têm ficado muito intolerantes com a diferença de opinião. E poder estimular o fato das pessoas pensarem de forma diferente e conviverem em harmonia é algo que tento fazer, independente de se as pessoas vão gostar ou não”, afirmou a cantora, em entrevista exclusiva à CONTIGO!

Anitta também conta que, antes de lançar os vídeos, mandou o do ‘beijaço’ para sua mãe, Mirian Macedo, para saber sua opinião. “Ela disse que não tinha gostado. Mandei também para o grupo da família, com meus tios e tias, que têm idades diferentes da minha geração. Eles gostaram do fato desse vídeo passar uma mensagem”, reflete ela. “Dá para usar o entretenimento para passar mensagens e fazer com que as pessoas reflitam. Não vou influenciar as pessoas a saírem pegando todo mundo, mas quero que as pessoas comecem a achar comum ver diferentes tipos de casais, não só gays ou lésbicas, mas também homem mais velho, com mulher mais nova, ou vice e versa... normalidade é o que eu quero passar”, afirma.


De uma música ... até um EP

O começo desse novo projeto da cantora nasceu com a ajuda de um cantor Pharrell Williams, famoso pelo hit Happy. Foi ele quem apresentou a música Goals, a faixa com letra em inglês. “Com essa canção, eu vi que tinha uma ligação com Veneno, que já estávamos trabalhando. Foi assim que surgiu a ideia do EP, por conta dessa conexão. O Pharrell é um amor de pessoa, me deu vários conselhos, de não colocar barreiras na vida e seguir em frente”, conta ela, que gravou a voz do hit com o americano. “Ele me deu muitas dicas de sotaque e pronúncia para cada palavra da música. Agradeço imensamente! Pode falar que ele abriu um restaurante em Miami? Preciso ajudar (risos)! ”

Para o clipe de Goals, no entanto, Anitta não teve tantos desafios quanto nos outro dois do EP. Em Veneno, mesmo com medo de cobras, ela se jogou com 29 cobras, de diversas espécies. “Para a gravação, pesquisamos muito com biólogos e especialistas de defesa animal, para ter o melhor clima, altura do som, luz... tudo foi pensado para que elas ficassem à vontade. Lidar com cobra domesticada é diferente, parece que estão fazendo massagem, eu fiquei bem tranquila.” O diretor do vídeo, João Papa, conta que a cantora e as cobras viraram melhores amigas no fim das gravações. “Foi bem bonito ver a conexão dela com as serpentes. Isso acabou gerando algumas imagens que são impossíveis de planejar ou de fazer mais de uma vez”, revela Papa