Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!

A eterna busca pelo equilíbrio

Luciana Gimenez celebra a silhueta, conquistada com dieta, malhação, pilates e yoga e nega que tenha anorexia. "Sou saudável, exemplo para as pessoas"

Por Marcelo Bartolomei / Fotos Martin Gurfein Publicado em 22/12/2015, às 10h33 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Luciana GImenez - Martin Gurfein
Luciana GImenez - Martin Gurfein
Nada irrita mais a apresentadora Luciana Gimenez do que falarem mal de seus filhos. Quer dizer... Quase nada. Recentemente, outro tema tem tirado a musa da Rede TV! do sério: quando dizem que, por causa de sua ótima forma, ela está doente. Feliz com o resultado de uma combinação de malhação diária com dieta equilibrada, ela tem publicado fotos mostrando o corpão em suas redes sociais e, para sua própria surpresa, vem sofrendo ataques virtuais. "Ficam dizendo que estou anoréxica. Mas não tenho anorexia, estou 100% saudável. Prezo pela minha saúde e pela dos meus filhos", rebate a beldade, aos 46 anos, que recebeu a CONTIGO! para um bate-papo sobre saúde, bem-estar e alimentação. "Como pastel, pão, brigadeiro e tomo sorvete", garante ela, que em 2016 pretende adicionar à sua já atribulada rotina um reality show a ser exibido em canal pago. Haja guloseimas!
Na casa onde mora com Marcelo de Carvalho, 54, vice-presidente da emissora onde tem dois programas, os meninos Lucas, 16, e Lorenzo, as meninas Manoela, 16, e Marcela, 14, suas enteadas, e as cachorrinhas malteses, Sofia, 9, e Lola, 7, mãe e filha, a mesa está sempre farta - a sala de jantar de sua casa é grande, com dez lugares fixos - tem sempre bolo à disposição (não sabemos se ela vai gostar, mas a gente decidiu contar: ela belisca as cascas de todos os bolos antes de eles serem cortados, para o desespero das cozinheiras!) e chocolate com goji berry para satisfazer os desejos de uma chocólatra. "Amo chocolate. E de qualquer tipo, qualquer preço. E também amo panetone, já que estamos na época", revela. Difícil de acreditar? Dias atrás, no grupo de Whatsapp da casa, ela começou a pedir insistentemente que alguém levasse chocolate para ela no andar de cima da cobertura onde mora, na capital paulista, no nível "socooooooorrrroooo!". "Na verdade, como pouco e equilibrado. Não vou mentir e dizer que bato um prato de arroz e feijão, mas cometo meus deslizes, especialmente quando viajo. Em Nova York, que é minha zona de conforto, como até hot dog na rua. Mas em casa tenho de me preocupar com as crianças, sou rigorosa nisso. Frutas, verduras, legumes, suco verde, tudo orgânico. Açúcar e refrigerante libero só de vez em quando", conta, frisando a responsabilidade com os filhos e também com sua própria saúde. "Se eu estivesse com anorexia, não aguentaria parar em pé, teria bulimia, não faria nem metade do que faço. M sinto bem, disposta, tenho acompanhamento médico e gosto do meu corpo assim, como está", diz ela, dona de medidas de dar inveja: 88 centímetro de busto, 63 de cintura, 91 de quadris e 62 quilos em 1,81 metro de altura. Mas ninguém imagina que, nas duas vezes em que engravidou, ela ganhou 30 quilos. "Engordei, mas também perdi rápido, em seis meses. Tive muito leite, super saudável. Não uso drogas, não bebo. Prefiro gastar minhas calorias com sorvete, com pão. Acho bonito mulher magra, trabalho na televisão, não quero ter de me preocupar se quando sento vão aparecer dobrinhas. Mas não critico ninguém! Cada um faz o que quiser! Só é preciso ficar ligada na saúde", aconselha a comandante do SuperPop e do Luciana By Night, atrações que mantém no ar a semana toda durante as noites.


ANOREXIA, NÃO. SAÚDE, SIM! 
"No começo, não ligava muito. Hoje em dia me irrita um pouco porque vai que alguém acredita? Isso é uma coisa muito séria, pois é um distúrbio alimentar. Se eu tivesse, teria de procurar tratamento, é uma coisa que mata. Podem criar uma imagem errada sobre mim Sou superfocada em dieta e em saúde. As pessoas começaram a falar demais sobre isso. Tenho filho adolescente, filho pequeno, as filhas do meu marido, que são que nem filhas para mim, para quem eu sirvo de exemplo. Sou muito mais saudável do que muita gente. Não julgo se as pessoas estão acima do peso. Obesidade é uma coisa séria. Me esforço para ter qualidade de vida. Acho que a gente tem que pensar na saúde. Beleza é legal, mas não é para sempre. Quando era modelo, meu corpo lidava melhor com alimentação nem tanto regrada. Hoje, para manter meu peso é difícil. Engordo fácil. Estou sempre fazendo acompanhamento médico, teste de bioimpedância. Cada um sabe seu limite, tem gente que emagrece mais rápido, tem gente que não. Trabalho com o corpo desde os 15 anos. Fazia esporte desde os 12 anos, fui federada para o vôlei, então aprendi a me conhecer e cuidar de mim mesma."

A GENTE É O QUE COME
"Entre beber duas taças de vinho e comer um pão na chapa, fico com a segunda opção! Tento não comer nada gorduroso. Acho que tem espaço para todo mundo. Hoje tem as modelos plus size. É outro padrão. Cada um faz o que quiser, como gosta. Não posso criticar uma gordinha, mas a gordinha pode me criticar? Eu, Luciana, acho que um vestido de alta costura fica bem em mulher mais magra. Mas te homem que gosta das mais gordinhas. Meu marido mesmo, às vezes fala para mim que gostaria que eu comesse mais, aproveitasse mais. Cada um tem de fazer o que quiser, mas dentro da normalidade e da saúde. As pessoas esquecem que comida é vida. A gente é o que come. Agradeço muito por ter uma vida saudável e alimentos saudáveis dentro da minha casa. Porque tem gente que passa fome no país. Fico magoada quando as pessoas falam coisas maldosas por aí porque nunca daria exemplos assim para meus filhos e filhas. O exemplo que dou aqui é para ser mais saudável, introduzir algumas ideias do bem neles todos."


A MATURIDADE AOS 46 ANOS
"Passar dos 40 é difícil, não vou dizer o contrário. Mas tenho tentado me cuidar mais. Estou me sentindo muito saudável, faço exames periodicamente. Sou um exemplo a ser seguido. Estou me descobrindo mais como mulher agora. Finalmente, estou podendo dizer 'eu me garanto, mando em mim, é minha vida e ninguém vai me tirar isso'. A gente vive para os outros: filhos, trabalho e maridos. Mas fazer o que gosta e quer, se tratar com respeito, isto é ser feliz, ajuda para que todos compartilhem a felicidade. É preciso curtir cada minuto porque a gente não sabe o que vai acontecer amanhã. Porque o hoje é o que temos de mais palpável na nossa vida. Tem de curtir, fazer o que está afim. As pessoas precisam ser felizes. Estou feliz, estou mais madura e serena. Nossa vida é hoje e agora, não levamos nada daqui, mesmo! Por isso, passei a valorizar mais estar com meus filhos, com minha família, com meus amigos, gente que realmente importa."