Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / DESABAFO

Tonico Pereira desabafa após a morte de Milton Gonçalves: "A política nos afastou"

Internado em hospital, Tonico Pereira desabafa e grava mensagem comovente ao descobrir a morte do colega

Redação Contigo! Publicado em 31/05/2022, às 10h11

Em hospital, Tonico Pereira desabafa após a morte de Milton Gonçalves: "A política nos afastou" - Reprodução/Instagram
Em hospital, Tonico Pereira desabafa após a morte de Milton Gonçalves: "A política nos afastou" - Reprodução/Instagram

O ator Tonico Pereira emocionou os seguidores ao se despedir de Milton Gonçalves em um vídeo publicado nesta segunda-feira (30).

 Internado em um hospital no Rio de Janeiro, ele gravou um vídeo muito sincero em que disse que os dois se afastaram, mas sempre foram admiradores um do trabalho do outro.

“Desde os primórdios da minha vida profissional na TV, no caso, na Globo, fomos amigos. Amigos mesmo! Infelizmente, a política sindical nos afastou. Mas, no fundo, não deixamos de ser amigos. E mais no fundo ainda, nunca deixei de admirá-lo como ator. Um abraço, Milton”, declarou ele.

Milton Gonçalves morreu nesta segunda-feira (30) após complicações de saúde que vinha enfrentando desde que teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) em 2020. O corpo do artista é velado no Theatro Municipal, no Centro do Rio, nesta terça-feira (31).

A cerimônia, que será aberta ao público, começa às 9h30. Após o velório, às 13h, o corpo do ator será levado para o Cemitério São Francisco Xavier, no Caju, onde será cremado. 

Veja:

RELEMBRE A CARREIRA DO ARTISTA

Com um currículo extenso, ele fez mais de 70 trabalhos na televisão, entre novelas, séries e participações especiais. No cinema, ele já esteve em mais de 60 filmes, e atuou em cerca de 30 peças.

A carreira do ator começou em 1960, ainda na TV Tupi, e fez seu primeiro trabalho na Globo na inauguração da emissora, em 1965. Desde então, ele esteve em mais de 40 novelas, onde interpretou personagens marcantes como o Zelão das Asas, de O Bem-Amado (1973), e o médico Percival, de Pecado Capital (1975).