Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / VEJA

Marina Lima elogia mudança de postura de Claudia Leitte após desabafo nas redes sociais: "Chega de passar pano"

Atriz defendeu que classe artística precisa se posicionar de forma política e que momento não é de ficar em cima do muro

Redação Contigo! Publicado em 28/05/2021, às 10h22

Reprodução/TV Globo - Mariana Lima elogia mudança de postura de Claudia Leitte após desabafo nas redes sociais: "Chega de passar pano"
Reprodução/TV Globo - Mariana Lima elogia mudança de postura de Claudia Leitte após desabafo nas redes sociais: "Chega de passar pano"

A cantora Marina Lima desabafou nas redes sociais e elogiou a mudança de postura de Claudia Leitte ao assumir que precisa se posicionar contra os problemas do Brasil.

Ela foi muito criticada após uma declaração no programa Altas Horas, da TV Globo, em que insinuou que não se indignava porque era dona de um "coração pacificador".

Para a atriz da TV Globo, a mudança na postura é um bom sinal.

"Alguns artistas se colocando, fazendo autocrítica de omissões e se posicionando sobre as situações graves em que nós, brasileiros, estamos passando", afirmou ela.

A estrela deu um ultimato para quem ainda permanece em cima do muro.

"Chega de passar pano! Ou abrimos a boca ou ficaremos na mão de um genocida que não vê nada de anormal quando 450 mil pessoas morrem por falta de uma vacina. Fora todas as outras atrocidades que o Brasil vem passando, ou melhor, passando a boiada. Artistas queridos, falem! Falem mesmo. Vamos tirar esse homem do comando do nosso país. É nossa única chance!", defendeu ela.

CLAUDINHA VOLTOU ATRÁS

Nesta segunda, Claudia Leitteconfessou que deveria ter adotado uma postura diferente naquele momento. "Mais que um desabafo, esse era um momento eu precisava ter muita consciência do meu papel social e eu não tive. Não sei porque, cargas d’água, dei uma resposta evasiva naquele momento e, desde que saí do programa, estou reflexiva", declarou ela.

"Me indigna o fato das pessoas que não usam máscaras, continuam promovendo e incitando aglomerações. Isso mata, está comprovado. O número alarmante de mortos é desesperador. O noticiário sangra todos os dias. O número de pessoas passando fome é revoltante, triste, desesperador, sufoca. E eu não falei sobre isso. Não falei sobre as mulheres que estão sofrendo violência doméstica e não têm abrigo, porque com seus filhos são abusadas dentro de casa. Não falei que me indigno com o fato de que não tem vacina para todo mundo no meu país", afirmou ela que justificou a mea culpa. "Não podia ter deixado essa oportunidade passar. Então, vim aqui pedir desculpas por isso, porque eu não usei da ferramenta que tenho para fazer alguma diferença. E eu quero me redimir disso, eu não quero fazer mais isso. Quero dar espaço, sim, para que coisas diferentes aconteçam. Eu posso ser um agente de mudança, eis me aqui", afirmou.

Veja: