Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / Polêmica

Glamour Garcia rompe o silêncio sobre agressões do ex-namorado

Atriz abre o jogo sobre ter sido agredida pelo ex-namorado: 'Tive força de reagir'

Redação Contigo! Publicado em 16/01/2020, às 17h31 - Atualizado às 17h33

Glamour Garcia - Instagram
Glamour Garcia - Instagram

A atriz Glamour Garcia, que interpretou a Britney em A Dona do Pedaço, da Globo, se pronunciou pela primeira vez após acusar o ex-namorado de agressão contra ela.

A artista usou as redes sociais para falar abertamente sobre sua reação após ser agredida.

“Pela primeira vez tive força de reagir e isso já é uma grande vitória. É uma forma de mostrar essa impunidade da qual eu não conseguia me ver livre. Por um ciclo de violência, um relacionamento abusivo e agradeço entenderem esse momento de dor para mim".

Glamour ainda falou sobre as outras vezes em que foi agredida pelo ex. “O episódio ficou menos drástico do que em outros momentos que aconteceram no fim do ano. Desta vez não fui totalmente espancada como das outras vezes"

Na sequência, ela falou sobre seguir com sua vida sob uma nova perspectiva. "Rezo para que essa situação se resolva. Isso não quer dizer (que eu tenha que) me calar ou mais uma vez me permitir ser agredida fisicamente como permiti durante meses"

A atriz ainda pediu desculpas aos fãs após ser acusada de intolerância religiosa, já que, durante a briga, rompeu um símbolo religioso do ex-namorado. "Venho me retratar com meu público com um possível entendimento de intolerância religiosa da minha parte. Acabei me voltando contra os objetos pessoais, contra meu ex-companheiro, para me proteger das agressões dele", afirmou ela, que continuou:

"Com isso, abriu-se o precedente para que continuasse o comportamento agressivo e abusivo dele. Por isso, eu me manifestei do jeito que foi porque estava muito revoltada", explicou. "Ele teve a capacidade de fugir, me abandonar. Eu sou bastante dramática. Eu me desculpo do fundo do meu coração e da minha fé, que não permite desigualdade, violência e muito menos agressão".