Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / CORPÃO

Adriane Galisteu relata luta para buscar seu espaço: ''As pessoas me chamavam de oportunista''

Ela expõe sua vida pessoal e profissional e revela o que faz para manter a boa forma

Redação Contigo! Publicado em 06/03/2020, às 12h14 - Atualizado em 01/05/2020, às 22h59

Galisteu revela segredos de boa forma e afirma: ‘’ Passo uma fominha’’ - Reprodução/Instagram
Galisteu revela segredos de boa forma e afirma: ‘’ Passo uma fominha’’ - Reprodução/Instagram

A atriz Adriane Galisteu abriu o coração ao falar sobre sua vida pessoal, profissional e, também, sua boa forma.

Em entrevista ao GShow, Galisteu relembra suas dificuldades para chegar aos holofotes que ocupa hoje.

A apresentadora, que já era conhecida no universo da moda, ficou em destaque no país quando assumiu namoro com o piloto Ayrton Senna, mas mesmo assim teve que buscar seu nome. “As pessoas me chamavam de ex-namorada, namorada, noiva, oportunista, mas não me chamavam de Galisteu, então eu durante muitos anos tive que batalhar o meu caminho", disse.

Hoje, aos 46 anos, Galisteu é modelo, apresentadora, atriz, empresária e, ainda, é dona de um corpo único e esbelto, que deixa qualquer um impressionado. Ela revela que não faz nenhuma dieta milagrosa, que gosta de se exercitar e atualmente se preocupa mais com a sua saúde do que com o formato de seu corpo.

Hoje eu corro, malho, é uma coisa que me faz bem. Eu não faço isso pensando mais no meu corpo, naquela época eu fazia, hoje eu faço muito mais pensando na minha cabeça do que no meu corpo.”, conta a loira.

Ela ainda acrescenta: “Passo uma fominha. Não como farinha, fritura, não como açúcar. Claro que você não consegue manter essa dieta todos os dias. Já fui a louca da dieta. Já fiz coisa do arco da velha, mas agora eu gosto de malhar e gosto de me manter magra”.

A apresentadora também expôs seu lado mãe em bate papo com o Gshow e conta que é grudada no filho Vittorio, fruto de sua relação com o estilista Alexandre Iódice:

Eu rolo no chão com ele, quero segurar o tempo, quero dormir com ele, ele não quer, quer dormir sozinho no quarto dele e eu falo: 'ah, dorme com a mamãe hoje'. Ele: 'não, mãe. Vou dormir no meu quarto. Não tenho idade para dormir com você'. Eu falo: ‘por favor!’”.