Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / DESABAFO

11 anos depois de assassinato que chocou o país, mãe de Eliza Samúdio diz que crime foi "queima de arquivo"

Em entrevista, ela afirma que caso não foi um crime passional e que sua filha sabia demais; veja

Redação Contigo! Publicado em 10/06/2021, às 14h48

11 anos depois assassinato que chocou o país, mãe de Eliza Samúdio diz que crime foi "queima de arquivo" - Reprodução/Instagram
11 anos depois assassinato que chocou o país, mãe de Eliza Samúdio diz que crime foi "queima de arquivo" - Reprodução/Instagram

Mãe da modelo Eliza Samúdio, assassinada há 11 anos, Sônia Moura deu uma rara entrevista em que se pronunciou sobre a morte da filha. Ela insiste que o crime foi uma queima de arquivo.

“Minha filha engravidou depois de quatro meses de convivência e ela sabia muitas coisas do Bruno. Eliza sabia demais e foi morta por queima de arquivo”, afirmou ela

As revelações aconteceram durante conversa com o canal “Na Real”, de Bruno Di Simone.

Ela insistiu que os dois tiveram um relacionamento longo e afetivo e que as acusações do goleiro Bruno não procedem.

"A Eliza não ficou grávida simplesmente por uma noite, Eliza não ficou grávida nessa orgia que o Bruno a expôs na sociedade. Existem provas anexadas das conversas entre os dois. E, em uma delas, ele fala de uma noitada de amor”, explica.

A mãe de Eliza Samúdio também conta que o filho do casal, Bruninho, não sabe de tudo o que aconteceu. Ele hoje treina em uma escolinha de futebol.

“Ele sabe de algumas coisas sobre o crime. A forma como a mãe dele foi morta isso ele não sabe. Ele sabe que foi largado numa comunidade, dentro de um barraco. E que a polícia fez uma varredura para achar”, diz.