Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Exclusivas / MATERNIDADE

Aos 42 anos, Fabiola Gadelha revela batalha após a chegada de filha temporã: “A gente não esperava”

Em entrevista exclusiva, Fabiola Gadelha disse que enfrentou grande dificuldade com a filha e detalhou a experiência de ser mãe de menina

Luisa Scavone Publicado em 31/07/2022, às 22h45

Fabiola Gadelha fala sobre maternidade - Reprodução/Instagram
Fabiola Gadelha fala sobre maternidade - Reprodução/Instagram

Fabiola Gadelha se tornou mãe pela terceira vez em abril deste ano, aos 42 anos, e está aproveitando os primeiros meses de Yarin, fruto de seu relacionamento com Bruno Amaral. Em conversa com a CONTIGO!, a apresentadora deu detalhes sobre sua rotina com a pequena, além das dificuldades que enfrentou nesse primeiro trimestre.

Surpresos ao descobrirem a gravidez, os dois não imaginavam que teriam um filho com tanta facilidade, justamente por causa da idade da jornalista, que já é mãe de Adrian, de 22 anos, e Adriel de 20 anos. Mas, além deles, a família toda também amou a notícia. “Chegou em um momento que a gente menos esperava”, comentou.

Dificuldades

Os primeiros três meses com a bebê foram os mais difíceis, segundo a mãe de Yarin. Isso porque ela se dedicava 24h por dia com amamentação em livre demanda e aproveitou cada segundo ao lado da filha. “Hoje ela já está com 3 meses, então a gente já está no desmame, na preparação para minha volta ao trabalho, para que ela não sinta e eu também não. Mas esses três meses foram intensos de muita dedicação, de muito amor compartilhado”, relatou.

Fabiola Gadelha ainda disse que, nos primeiros dias de vida, a caçula deu um pouco de trabalho porque não mamava direito e dormia muito. “Eu tive que trabalhar a insistência, aquela coisa mesmo de mãe, que é incansável”, comentou ela. Mesmo após 20 anos desde a sua última gravidez, ela contou que sua intuição segue a mesma e, por isso, sabia como agir para cuidar da pequena. “A gente já foi trabalhando a rotina da Yarin para que não tivéssemos problemas futuros na hora do desmame”.

Ela ainda revelou que sua maior dificuldade até agora foi lidar com as crises de cólica da bebê que, felizmente, não foram muitas. “É um momento muito difícil para qualquer mãe, porque a gente sabe que tem que dar o remedinho e não tem outro jeito. É acalentar e esperar aquela dor passar”, comentou. “A gente se sente impotente. Essa é a pior parte, acredito que para qualquer mãe”.

Mesmo entre os cuidados e preocupações, ter filho pequeno traz muitos prazeres para a apresentadora. “Ver a evolução a cada dia, uma descoberta cada dia. A gente percebe ela crescendo, evoluindo, correspondendo e interagindo”, disse.

Primeiro trimestre

Agora, com três meses, Yarin entendeu e se acostumou com outras pessoas, além da mãe. “Ela também está acostumada com as babás, com toda a família. Estamos vivendo a segunda fase, que é de 3 a 6 meses, que ela compreende ser separado da mãe. Está sendo delicioso”, disse.

A bebê é a única filha menina da jornalista, mãe de dois homens. Mas, como contou Fabiola Gadelha em entrevista exclusiva, por mais que não tenha declarado uma preferência pelo sexo do bebê, ficou muito feliz com a chegada da princesa da casa. ”Eu tinha medo de escolher e me frustrar, então o que viesse estaria ótimo. Filho é filho. Mas como sempre, Deus supera as expectativas e, pelo fato de ter dois meninos, eu não posso negar que ter vindo uma menina fez muita diferença”, contou.

Mãe pela terceira vez, ela percebeu uma ligação e delicadeza diferente na menina. “Muita mais delicada. A gente percebe que é diferente porque a mulher parece ser mais intuitiva. Eu consigo, pelo olhar, ver que a gente tem muita sintonia. Estava sendo muito gostoso a experiência de ser mãe de menina”, finalizou.