Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Exclusivas / TURNÊ INTERNACIONAL

Duda Beat se prepara para turnê internacional: "Mostrar o Nordeste para o mundo"

Em entrevista exclusiva, a pernambucana Duda Beat conta detalhes da sua nova turnê internacional que promove seu novo álbum "Te Amo Lá Fora"

Julia Palmieri Publicado em 22/01/2022, às 06h37 - Atualizado em 24/01/2022, às 15h37

Duda Beat se prepara para turnê internacional: "Mostrar o Nordeste para o Mundo" - Reprodução/Instagram
Duda Beat se prepara para turnê internacional: "Mostrar o Nordeste para o Mundo" - Reprodução/Instagram

Nome forte da nova geração, a cantora Duda Beat se prepara para embarcar para sua segunda turnê internacional. Com shows marcados em Lisboa, Porto, Barcelona, Madri, Londres, Berlim e Paris, a pernambucana agora vai apresentar ao mundo as músicas do seu segundo álbum, Te Amo Lá Fora, além de hits consagrados.

Em conversa com a CONTIGO!, a artista revela que está animada com os shows que serão realizados a partir de abril. “A expectativa está lá no alto, retornando a Europa agora com essas datas com países que eu não tinha ido da primeira vez. Então são muitas conquistas. Quero entregar um espetáculo mais parecido com o que eu faço no Brasil”. 

RECEPÇÃO INTERNACIONAL 

Ao falar da ansiedade para a nova turnê, Duda Beat também relembrou a sua primeira série de apresentações fora do Brasil, em 2019. Na época, ela esgotou os shows em 5 das 6 datas e recebeu muito carinho do público. Agora, ela espera que seja ainda melhor.

“A maioria foram brasileiros, mas gringos também, pessoas locais indo lá assistir. Seja porque o amigo brasileiro levou ou porque ‘querem entender mais sobre o que é a minha música'. Então foi muito legal e muito gostoso, todo mundo se entregando as canções”, relembra ela.

A cantora também conta que muitos brasileiros que moram fora falaram que sentem muita falta de ouvir música brasileira e pessoas falando português. “A animação foi 100%, mas eu tenho certeza que agora vai ser 110% porque a gente está levando mais gente na banda.  Vamos levar musicas novas desse último disco. Então eu acho que vai ser melhor do que foi”.

REPRESENTATIVIDADE NORDESTINA

A pernambucana relata a emoção de poder representar o Nordeste internacionalmente: “Eu fico muito feliz e cada vez eu quero mais levar mais o nome de Pernambuco e do Nordeste para o mundo. Ainda existe muita dificuldade do artista nordestino no Brasil, que deveria ser muito mais percebido principalmente pelo sudeste. É uma região muito bonita com culturalmente com muitos ritmos interessante se maravilhosos, então o Brasil inteiro não se empoderar dessa coisa linda que o Nordeste produz é muito triste”.

Duda Beat também relembrou as diversas dificuldades que enfrentou e ainda enfrenta na sua carreira para ter seu trabalho valorizado, como, por exemplo, o fato de não ter suas músicas tocando em muitas rádios do Sudeste. Porém, aos poucos, ela acredita que essas barreiras estão sendo derrubadas.

“É uma alegria muito grande para mim estar indo para uma turnê internacional com o meu trabalho mostrando a riqueza que o Nordeste tem para o mundo. Sinto que não conquistamos tudo ainda, mas estamos no caminho”, afirma.

Duda Beat turnê internacional

PRODUÇÃO DO ÁLBUM E AUTOCONHECIMENTO

Empolgada, ela está ansiosa para ver todos cantando as músicas do novo álbum, lançado em 2021 durante a pandemia, quando ainda não estavam acontecendo shows. Durante esse tempo da pandemia, enquanto escrevia as novas canções, o autoconhecimento também foi muito importante.

“Foi um ano muito reflexivo, de muita evolução, no sentindo de questionamento. Um ano de muito aprendizado, de muitas descobertas sobre mim, sobre quem eu sou.  Eu fiquei muito pensativa e me observando muito”, explica.

Duda Beat também aproveitou os últimos dois anos para ter aulas de dança, ginástica e de inglês. Inclusive, uma de suas metas para esse novo ano é aprender mais um idioma: o espanhol. Alcançando territórios internacionais, ela não descarta a possibilidade de cantar em outras línguas no futuro.

“Eu cantaria em outras línguas também, tenho esse desejo. Mas tenho esse desejo de fazer isso com o som do Nordeste. Com o som que eu faço em outras línguas. Porque alguma coisa de Brasil eu sinto que eu preciso levar para fora se essa é minha missão. Com certeza faria um maracatu em inglês. É um grande sonho meu”, revelou a cantora.

Ao relembrar a parceria com a chilena Princesa Alba, na música Narcisa, ela conta que foi um momento muito especial, principalmente porque ela disse ser fã do trabalho de Duda Beat e pediu que ela composse a música em português: “Achei de uma generosidade porque ela foi uma artista que deu valor a nossa língua”.

Enquanto não lança músicas em outras línguas, a loira vai para fora cantando em português, e se mostra muito orgulhosa disso. Promovendo seu álbum novo, que tem de tudo um pouco, ela citou quais músicas são mais emotivas para chorar: “Mais Ninguém” e “Meu Coração”.

Já para dançar e curtir, ela cita “Tu e Eu”,“Nem um Pouquinho” e “Tocar Você”, que encerra o disco. Apesar disso, a pernambucana afirma que todas as letras são uma mistura das duas coisas: “Tudo na minha carreira é meio chorando e dançando”.

Duda Beat Turnê internacional

CONCEITO

Diferente do primeiro disco, que traz uma “vibe” mais colorida e animada, com músicas mais românticas e “iludidas”, a cantora apresenta um segundo álbum com um conceito mais “dark” sombrio. Segunda a cantora, ela está mais desiludida com o amor nessa nova fase. Esse conceito transparece nos visuais da turnê, em que ela usa peças mais pretas e neutras.

“Existem alguns atos: o ato onde eu ainda estou ‘down’, o ato onde eu me empodero. O ato que é festa, que é o final do show. É um narrativa muito bem contada nos palcos nesse sentido”, explica.

Todo o conceito visual que é representado nos palcos dos shows foi antes pensado a partir das canções, das suas letras e ritmos.

“As canções pediram que essa era fosse mais dark porque nas letras eu estou muito encarando esses assombros que é o amor. A gente tem uma visão do amor romântico como se fosse quando é correspondido só coisas boas. Quando não é correspondido a gente tem que encarar a nossa ansiedade, encarar a nossa tristeza e tudo isso”, conta ela.

Apesar das letras mais tristes, ela revela que também fala sobre empoderamento em algumas músicas e explica o título do disco: “Você foi importante na minha vida, você passou na minha vida.  Te amo, aprendi muito com você, mas te amo lá fora, te amo distante de mim. Não preciso ter você perto de mim para te amar mais ou menos. A arte nesse caso ela se faz presente por isso, pela lição que ela demonstra. O segundo disco é muito sobre encarar esses assombros e se empoderar a partir deles”

Duda Beat Turnê internacional