Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Débora Nascimento sobre José Loreto: "Amo enlouquecidamente desde o primeiro momento"

O jeitinho doce de Débora Nascimento, estrela de Êta Mundo Bom!, engana. Cheia de convicções, a atriz não quer o tórulo de deusa intocável e lembra que relutou até assumir o amor por José Loreto

Por Ligia Andrade Publicado em 04/03/2016, às 10h01 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

José Loreto - Fabrizia Granatieri
José Loreto - Fabrizia Granatieri
Vibrante. intenso. Extracorpóreo. O casamento de Débora Nascimento, 30 anos, e José Loreto, 31, foi exatamente desse jeitinho, nas palavras da própria atriz, a intérprete da doce Filomena, protagonista em Êta Mundo Bom!. Prestes a completar um ano de casados, em maio, os atores oficializaram a união durante uma viagem a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, e, durante um tempo, fizeram questão de manter segredo. Mas tão logo começa a conversa, a atriz dá detalhes: “Foi no meio do nada, ao mesmo tempo, tinha tudo. Senti a areia, o vento, os passarinhos, a árvore, o sol, a temperatura estava ideal... E ele! Precisa mais?”, suspira. Há quase quatro anos junto, o casal adora viajar, assistir a filmes, ler e beber um bom vinho. “Somos caseiros”, diz, avessa a badalações. No dia a dia, eles dividem as tarefas domésticas, como as idas ao supermercado. “José me surpreende sempre, é incrível! Somos muito parceiros, falamos absolutamente de tudo. Se algo incomoda, falo: ‘Amor, não é assim. Vamos conversar sobre isso?’ Conversamos até sobre a minha celulite!”, admite aos risos. Os dois também “batem” o texto, dão pitaco um no trabalho do outro. E um aviso: se mexer com o maridão... aí sai de baixo! “Sou leoa, sim. Ai de quem mexe com ele! Viro bicho, fico para morrer, com vontade de querer ir lá e resolver!”, conta Débora. 


"José me surpreende sempre, é incrível! Somos muito parceiros, falamos de absolutamente de tudo", diz Débora (Foto: Fabrizia Granatieri)

DIFERENÇAS, ATÉ DE FAMÍLIA
Mas nem tudo são flores na vida de Débora e Loreto. “Sabemos que somos diferentes. Adoro comer e ele não tem esse apego. Diz que, às vezes, meu prato está maior do que o dele (risos). Temos de conversar, porque a gente tem diferenças nítidas, até de família”, revela. Outro exemplo, Débora saiu de casa aos 15 anos e tem uma relação independente com a família. Já a de Loreto, é um pouco mais presente. “Vamos nos habituando e formando a nossa família — eu, ele e as nossas cachorras”, conta sobre Brisinha, uma maltês, e Brisonha, uma mistura de pit bull com vira-lata. Foi durante as gravações de Avenida Brasil (2012) que a paixão aconteceu. A atriz lembra que até lutou contra o sentimento. “Mas soube desde o nosso primeiro beijo, na van da emissora. Falo para ele: ‘Te amo do jeito que te amo, enlouquecidamente, desde o primeiro momento. Não queria namorar ator, carioca, até porque teria de lidar com um monte de questões minhas, sou muito ciumenta. Casar, então? Lutei muito contra, mas não dava mais...”, relembra a CONTIGO!. Outra preocupação era o relacionamento tirar o foco da Téssalia e do Darkson, seus respectivos personagens na trama. “Foi uma coisa de cheiro, no meio da novela, não teve como. Não conseguíamos ficar longe — até hoje é assim. Se a gente está em um lugar, cinco minutos depois estamos encostando um no outro. É uma coisa de pele, gosto do sovaco dele (risos). Grudo e não saio!”
Se fosse pela vontade de Loreto, Débora já seria mãe de duas crianças! “Ele é enlouquecido para ter filhos, mas fizemos um cronograma e vai demorar. Depende da mulher, praticamente um ano e meio de dedicação. Viramos uma máquina de leite, de certa forma”, brinca, descrevendo os primeiros passos da maternidade. Ela, mesmo ainda distante de uma gravidez, diz que pretende amamentar o filho até os dois anos. “Não vou enlouquecer para ficar com a barriga chapada em três meses. Sei da minha estrutura, quero tudo o mais natural possível. Falo que vou virar uma orca, de tanto que vou inchar peito, bunda, rosto... E já pedi para ele não controlar minha alimentação, meus doces, meus pães”, diz para quando o grande acontecimento vier.

NÃO ME SIGA!
Às vésperas de completar 30 anos, mais precisamente um mês antes, Débora diz ter pirado. Não sabia quem era, o que queria fazer... Bateu a crise existencial! Depois do aniversário, comemorado em 16 de junho, passou. Só que algumas questões ainda ficaram em sua cabeça: como lidar com a exposição por ser uma atriz de TV? Até quando é o dinheiro que importa? “Não que eu seja Madre Teresa de Calcutá, infelizmente estou bem longe disso. Mas chega de ‘sou uma deusa’. Tenho celulite e tudo mais. Não pedi para ser exemplo para ninguém. Não me siga, sabe? Por favor, não siga a Débora (risos)!”, diz, agora mais brincalhona com sua crise existencial e refletindo sobre redes sociais. “Não sou perfeita. Hoje em dia as pessoas não têm celulite, espinhas. Gente: isso é normal! Por isso bato nessa tecla de ser eu, uma mulher normal, e não uma deusa intocável.”


"Quando engordo, vai para a bunda e para o culote", revela (Foto: Fabrizia Granatieri)

ELA PREPARA SEU SUCO VERDE
Vivendo sua primeira protagonista, Débora está atraindo ainda mais os holofotes na pele da caipira Filomena, uma menina doce e ingênua dos anos 1940, apaixonada por Candinho (Sérgio Guizé, 35), seu irmão de criação. “É um amor de infância, puro”, explica Débora. A personagem cai na lábia do vilão Ernesto (Eriberto Leão, 43) e vai trabalhar em São Paulo no Taxi Dancing — lugar em que as mulheres são pagas para dançar com os homens. “Aprendi bolero, tango, mambo, charleston, salsa, gafieira, soltinho. Estou adorando! É uma diversão, levei até o José para uma aula de tango — ele leva jeito, rimos à beça!”, conta. 
Como a personagem tem uma beleza natural, a atriz deixou a vaidade de lado e nem faz mais as unhas. “Não tenho esse apego. Só estou tirando os pelos meio malucos das sobrancelhas e uso quase zero de maquiagem também, só um corretivo mesmo para tirar as olheiras”, diz. Adivinha quem está adorando o novo look? “José está amando. Ele adora, quando me vê com o cabelo para cima, fala: ‘Ah, meu Deus... Minha descabelada (risos)!’ Ele vê fotos minhas da Filomena e diz que estou bonita, emitindo luz, fica todo derretido.” Por causa da rotina de gravação, Débora tem deixado o balé e a ioga de lado, atividades que adora, e tem se dedicado ao crossfit: “Para fazer balé, tenho que acordar cedo e nem sempre consigo. Quero voltar à ioga. Faço Ashtanga (método de ioga), é uma delícia, trabalha a concentração, porque às vezes fico doidinha pensando em um monte de coisas”. Dos 3 quilos que havia perdido inicialmente, antes da novela, ela aposta que já ganhou 1. “O bom é que sou grande. Quando engordo, vai espalhando, vai mais para a bunda e para o culote, mas fazer o quê (risos)?” Para fugir à tentação, ela mesma prepara o próprio suco verde. E conta que a parte que mais gosta em seu corpo são os olhos. “Pode tapar tudo! O sonho do meu marido é me ver de burca (risos).” 
    Tirando a habilitação para pilotar motocicleta, Débora planeja fazer uma viagem com o marido e alguns amigos pela América do Sul. “Ainda não peguei a Tessália (moto Harley-Davidson apelidada por Loreto). Ele não deixa, acha que não vou conseguir, por ser pesada. Tenho uma outra branquinha, com cambio manual. Mas falei para ele: ‘Espera, porque vou pegar um Darkson para mim. Não preciso dela, não... (risos)”, brinca, citando o personagem de Loreto em Avenida Brasil.