Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Danilo Gentili só quer saber da vida de solteiro

Com seu talk-show no SBT, o apresentador celebra sucesso do formato que mistura entrevista e humor no Brasil. “Tenho mais paz assim e é muito legal aproveitar esta fase”

Por Tainá Goulart Publicado em 02/06/2017, às 21h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Bastidores do The Noite com Danilo Gentili - Fotos: Paulo Santos
Bastidores do The Noite com Danilo Gentili - Fotos: Paulo Santos
Desde a estreia de seu programa The Noite com Danilo Gentili, no SBT, em 2014, os ternos de Danilo Gentili, 37 anos, parecem os mesmos, todos cinzas. A aversão do apresentador aos looks ‘engomados’ é tanta que, em 2017, nem as gravatas e as camisas mudam mais. “Existem duas coisas que eu odeio fazer para gravar: ter que trocar de roupa e a outra é me maquiar e arrumar o cabelo. Tudo me dá muito trabalho... Sou grande, meu cabelo é esquisito, não para onde quero (risos)! Por isso, eu resolvi usar sempre o mesmo terno, gravata, camisa, para não ter problema, se pudesse, apresentaria o The Noite de jeans, camiseta e tênis All Star. Brinco que virei a Mônica”, diz Danilo, enquanto tenta ajeitar a franja, na frente do espelho, referindo-se ao personagem que só usa vestido vermelho, do cartunista Mauricio de Sousa, 81. 

Em março, Danilo promoveu o encontro entre o ator Hugh Jackman (à esq.) e seu dublador, Isaac Bardavid

Bastidores da zoeira
A formalidade do visual, no entanto, só combina com o cenário da atração, pois, com o público e com os convidados famosos, o clima descontraído impera. Nos bastidores, o elenco, composto pela banda Ultraje a Rigor, os comediantes Juliana Oliveira, 30, Léo Lins, 34, e Murilo Couto, 28, e o locutor Diguinho Coruja, 36, vive criando piadas para quem é entrevistado e fazendo brincadeiras. No dia em que CONTIGO! acompanhou as gravações, o cantor Bell Marques, 64, foi recebido por pessoas da plateia usando abadás. “Existe uma cláusula em nosso contrato que proíbe o Danilo de andar no mesmo corredor que a gente. Nós não somos muito fãs dele, só trabalhamos pelo dinheiro”, brinca Murilo, um dos repórteres do Boletim de Segunda, quadro que satiriza os noticiários. “Sou o anfitrião e preciso fazer meus convidados se sentirem à vontade, o que é bem diferente do que eu fazia no CQC (Band, atração em que ficou entre 2008 e 2011). Costumo pensar em coisas que os meus convidados vão gostar, mas não posso esquecer do meu lado cômico. Se as personalidades estão felizes, elas entregam o que eu quero para a minha audiência”, conta Danilo. 

Com Murilo Couto, gravando o Boletim de Segunda, um quadro que satiriza os noticiários em geral

Referência na televisão
Apesar de sentir saudades de “bagunçar em Brasília”, como diz, o apresentador sente que está no caminho certo. Para ele, o fato de trazer artistas internacionais é, talvez, um dos maiores reconhecimentos do seu trabalho. “Quando eu comecei um talk-show, falaram que convidado internacional nunca iria rolar porque ninguém me daria credibilidade. Mas, isso não foi empecilho e eu e minha equipe corremos atrás. Foi um desafio enorme e deu muito certo! Viramos referência, tem artista que pede pra vir pra cá, pois já viu outros nomes sendo entrevistados por mim e eu me orgulho muito disso.” Entre os nomes de fora que já sentaram no sofá do programa estão os atores Jack Black, 47, e Hugh Jackman, 48, o ex-intérprete do herói Wolverine, da franquia X-Men. “Todos os atores de Hollywood que vêm ao Brasil, vou atrás para entrevistar. São pessoas diferentes, que não vemos em muitos programas daqui do país. Gostaria muito de ter entrevistado o Ayrton Senna”, revela. 

Vaidoso com o cabelo, o apresentador passa cerca de 20 minutos para deixar o visual pronto

Pausa no trabalho? Nunca!
O trabalho é intenso, com gravações duas vezes na semana e reunião de pauta todas as quintas-feiras. Nos outros horários livres, Danilo têm se dedicado com mais afinco aos diversos projetos no cinema. O mais novo é o longa Como Se Tornar o Pior Aluno da Escola, baseado no livro homônimo escrito por ele. “O roteiro é baseado em anotações reais de coisas que eu fazia na escola. Era o terror quando pequeno e o filme é quase um Karate Kid do bullying. Ainda tenho mais duas obras que estou escrevendo e pretendo não parar”, conta ele, que está solteiro. Se vida pessoal existe? O apresentador diz que não! “Eu não sou casado e não tenho filhos, então sobra bastante tempo. Acho que este é o segredo. Penso em todos esses assuntos, mas não agora, vai demorar. Eu começo a namorar e o pessoal cobra, então, tenho mais paz sendo solteiro e é muito legal aproveitar esta fase. Vou onde eu quero, não devo satisfação a ninguém…”, despista.