Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!

A volta por cima

Ticiane Pinheiro abre pela 
primeira vez seu apartamento 
em São Paulo, fala com franqueza sobre 
os momentos difíceis que enfrentou 
e comemora o sucesso na TV

Renata Telles Publicado em 15/09/2015, às 09h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Ticiane Pinheiro - Caio Guimarães
Ticiane Pinheiro - Caio Guimarães
No apartamento  de 400 m2 em um bairro nobre de São Paulo, Ticiane Pinheiro, 39 anos, comemora: vai comprar a primeira casa própria e sair do aluguel. “Aprendi a cuidar da minha vida”, diz a apresentadora do Hoje em Dia, da Record. Há dois anos ela precisou conquistar a independência de maneira um tanto amarga. Separou-se do publicitário Roberto Justus, 60, com quem tem Rafaella, 6, e começou a usar o salário, antes só para ela, para pagar contas de luz, telefone, alimentação... Em meio ao choro e à responsabilidade veio o amadurecimento. A tristeza a fez pegar ainda mais pesado no trabalho e o jeito espontâneo da carioca, que fala o que vem à cabeça, ajudou Ticiane a ganhar mais populariedade (só no Instagram, ela tem quase 2 milhões de seguidores e, desde sua estreia no Hoje em Dia há pouco mais de um mês, o programa teve aumento de 16% no Ibope). Acompanhe a entrevista exclusiva da apresentadora à CONTIGO!, que abriu pela primeira vez o apartamento onde mora. 

O SALTO NA TV “Quando o Programa da Tarde acabou, me avisaram que eu faria o Hoje em Dia. Fiquei triste pelo término da atração, mas feliz por entrar em um programa que está há dez anos no ar. Apresentar matinal dá mais visibilidade, e as pessoas gostam de mim porque sou verdadeira e espontânea.”

O PIOR NÃO “Sempre fui de bater na porta, pedir emprego. Quando era modelo, ouvi vários nãos! Do Paulo Borges, da São Paulo Fashion Week, foram muitos. Mas não me abalava e partia para outra. Meu maior sonho era ser Paquita e ouvi da Marlene Mattos o não mais dolorido. Ela disse que, se eu conseguisse a vaga, todas as pessoas iam achar que eu só estava lá porque tinha mãe famosa (Helô Pinheiro, 70). Fiz vários testes para papéis em novelas e não passei. Numa sequência de testes frustrados, minha empresária na época me aconselhou para que eu investisse nos trabalhos como apresentadora, sendo eu mesma e não um personagem.” 

SEM VERGONHA “Quando fazia o Simple Life (reality exibido em 2007), fui dar entrevista no Hoje em Dia e corri atrás do diretor para ser repórter. Tempos depois surgiu As Aventuras de Tici, além de outros quadros. Para o Programa da Tarde fiquei sabendo que estavam à procura de uma morena e me ofereci para pintar o cabelo. Ano que vem faz dez anos que estou na Record.”

POPULAR  “Por eu ter sido casada com um homem publicitário, mais velho, sério, eu tinha essa imagem de certinha, patricinha. Acredito que fiquei mais popular quando dancei quadradinho de oito no palco. As pessoas falavam: ‘Como aquela patricinha casada com Justus faz isso?’ Foi aí que o público começou a me perceber. Já fui a bailes funks no Morro dos Macacos, no Castelo das Pedras, se eu estiver a fim de fazer algo, eu faço. Falo o linguajar do povo.”

UM PROGRAMA SÓ DELA “Na vida temos que sonhar, senão a vida fica sem graça. Se falarem que pra mim está bom desse jeito, eu não vou me motivar a evoluir. Preciso pensar alto, meu sonho é ter um programa só pra mim! Tenho dois projetos, um seria atração de entretenimento e o outro para TV fechada. É um programa de entrevistas em que as pessoas falam de tudo sem cortes, sem censura.”


AJUDA DO EX-MARIDO “Na época do Simple Life, me chamaram porque tinha acabado de me casar com um empresário. Roberto me abriu portas na carreira, assim como minha mãe. Desde pequena sempre batalhei, não espero as coisas caírem do céu. As pessoas não me percebiam, elas me viam como ‘a mulher do’ e não como a Ticiane.”
VIDA APÓS SEPARAÇÃO “Estava com pressa de reconstruir uma família depois da separação e era imaturidade. O mais importante é viver o hoje, senão você fica na ansiedade e acaba levando tombos lá na frente. Eu tive que tomar conta da minha casa, pagar minhas contas, administrar a minha filha e fazer com que a cabecinha dela não ficasse dividida. Amadureci com os tombos e, por piores que sejam, tento tirar o lado bom de tudo. Não sou do tipo que gosta de sofrer e quer que o povo tenha pena. Eu me fortaleço rápido, a vida é muito bonita.”

MOMENTOS DIFÍCEIS “Sou transparente, até mesmo nos meus tombos, as pessoas me veem feliz, mas elas sabem que já sofri muito, elas acompanharam meu sofrimento quando perdi meu bebê (em 2008, aos cinco meses de gravidez o coração de Raphael parou de bater) e me deram força durante a separação. Fazia o programa sorrindo, mas muitas vezes ia lá fora chorar. Focava no trabalho e acabava dividinho tudo nas redes sociais. Era um momento de carência, de querer carinho.”

PIOR EXPERIÊNCIA “Talvez a situação mais difícil no ar foi quando o Roberto e a Rafa chegaram ao vivo para me parabenizar. Tinha um mês de separação e não sabia de nada, foi uma surpresa meio diferente, um monte de câmera, uma situação meio embaraçosa. As pessoas viram isso e, na época, todas sentiram minha dor.” 

A INDEPENDÊNCIA “Aprendi a tomar conta da minha vida, além de dona de casa, trabalho na TV e sou mãe. Tenho a seriedade que antes não tinha. O Roberto paga a pensão e este imóvel, que alugamos por três anos. Pago a conta de luz, telefone… Mas agora vou comprar minha casa, com o meu dinheiro. Será o primeiro apartamento e estou vendo preços em vários bairros.”

AAAA, O AMOR! “Eu me separei em maio (2013) e fui namorar em abril de 2014. Quando terminei, não gostava de ficar sozinha em casa, só queria sair. Hoje aprendi a ficar sozinha, a ter meus momentos. Torcia para encontrar alguém, mas na época não apareceu ninguém. Eu redescobri o amor com o César (Tralli, 44). Já tivemos um término e acredito que as coisas não acontecem por acaso. A gente terminou talvez para arrumar a casa e foi bacana. Voltamos em uma relação mais madura.”


NOVO CASAMENTO “Eu me casaria novamente de branco, faria uma festa de casamento íntima, com poucos convidados. Também teria mais um filho, mas é difícil falar do futuro. Sempre quis ter dois filhos. Estou com 39 anos e adoraria engravidar, mas hoje não. Teria uma criança, porém não é uma prioridade.”

MINICELEBRIDADE “Rafa é carinhosa e sensível. Ela adora o César e o chama de Biscoito. Uma vez viajamos para uma fazenda e tinha um gato que se chamava Biscoito e não sei por que eles acabaram se chamando assim. É um apelido carinhoso. Ela sabe que ele é o namorado da mãe, não tem ciúmes. Tenho orgulho da Rafa, já recebi diversas ofertas de trabalho para a gente, mas não é hora. Se um dia ela quiser e pedir, que nem eu fiz com minha mãe, tudo bem.”


QUASE QUARENTONA “Adoro número par, então detestei fazer 39 anos. Chegar aos 40 não muda nada. Estou igual desde que nasci. Não sinto essa diferença. Ou sou bem desencanada ou não percebo. Eu me cuido, claro, uso cremes antes de dormir, vou à academia duas vezes por semana e faço luta e drenagem linfática.”