'Cine Holliúdy': série reúne ícones do humor nacional

Edmilson Filho, Heloisa Perissé, Matheus Nachtergaele, Chico Díaz, Miguel Falabella, Ney Latorraca e Tonico Pereira estão juntos na nova produção da Globo

Redação Contigo!

Heloisa Perissé e Matheus Nachtergaele | <i>Crédito: Globo/Marcos Rosa
Heloisa Perissé e Matheus Nachtergaele | Crédito: Globo/Marcos Rosa

Cine Holliúdy, nova série da Globo, promete arrancar muitas risadas dos telespectadores. Protagonizadas pelos atores Edmilson Filho, Letícia Colin, Matheus Nachtergaele e Heloísa Periss, a produção é baseada no filme homônimo de Halder Gomes.

Desde novembro de 2017, a equipe está em Areias, uma cidade no interior de São Paulo que ganhou ares de um Ceará da década de 1970. Pitombas será a cidade fictícia criada para ambientar a série, uma coprodução da Globo com a produtora Glaz. Sob direção geral de Patrícia Pedrosa e direção de Halder Gomes, já foram realizados 48 dias de gravação no local, o que movimentou a pacata cidade de 3.700 habitantes.

Entre acontecimentos sobrenaturais, uma eleição que tem até um bode como candidato e golpes de voadoras no melhor estilo “tora pleura”, a série, ainda sem data de estreia definida, tem redação final de Marcio Wilson e supervisão de Claudio Paiva. Marcio Wilson, Cesar Amorim, Alexandre Plosk, Leandro Soares, Bibi Da Pieve e Carol Garcia assinam os textos dos episódios.

No elenco, ainda estão os atores Haroldo Guimarães, Carri Costa, Solange Teixeira, Falcão, Cacá Carvalho, Gustavo Falcão, Frank Menezes, Chico Diaz, Miguel Falabella, Ney Latorraca e Tonico Pereira.

Entenda a história:

Pense num cabra que não desiste fácil do que quer, que pode se estropiar todo e ainda se levantar com um sorriso no rosto e um bocado de ideia mirabolante. O nome dele é Francisgleydisson (Edmilson Filho) e seu sobrenome é Cine Holliúdy. Ou quase isso.

Essa é a história de um “cinemista” dos bons, que mantém seu cinema, a única atração cultural de Pitombas, com muito orgulho e dedicação. Sujeito que nasceu para desenrolar as pendengas da vida, Francis não contava com a chegada de um adversário para o seu negócio. O responsável por essa grande novidade é o prefeito Olegário (Matheus Nachtergaele), um político que tem mais medo das vontades da mulher, Socorro (Heloísa Perissé), do que de deixar a prefeitura endividada. Ele resolve, então, atender ao pedido da primeira-dama e leva um aparelho de TV para a cidade.

Enquanto o povo se “embioca” na praça para assistir à novela no novo equipamento, Francis vê seu faturamento cair na bilheteria. Ele, então, se desdobra para tornar seu cinema mais atrativo, nem que tenha ele mesmo que criar suas obras e enfrentar alienígenas, assombrações e uns brutamontes no meio do caminho. O bicho é teimoso e tem no seu DNA algo que é comum ao brasileiro: a arte de se reinventar, se reerguer e fazer graça até na desgraça.

Agora, difícil mesmo vai ser conseguir a confiança, e um tiquinho do coração, da enteada de Olegário, Marylin (Letícia Colin). Ela, moça “ispilicute”, veio de São Paulo a contragosto, pisando duro e desejando ir embora, mas logo encontra uma boa razão para ficar naquele “fim de mundo”. Ao lado de Francis, a paulista vai viver dias de muitas aventuras com sotaque cearense.

22/01/2018 - 11:43


Conecte-se

Revista Contigo!