Tais Araújo: "Dou minha opinião sem agredir ninguém"

No ar em Mister Brau (Globo) e no Saia Justa (GNT), a atriz diz que não tem medo de falar o que pensa. Em uma entrevista sincera, ela solta o verbo sobre crise no casamento, conta que já levou muita ‘porrada’ na vida e se derrete quando o assunto é maternidade

Por Tainá Goulart

Tais Araújo por Fred Othero | <i>Crédito: Fotos: Fred Othero
Tais Araújo por Fred Othero | Crédito: Fotos: Fred Othero
Sabe aquela amiga que te fala tudo na lata? Tais Araújo, 38 anos, é assim. Sem meias palavras, a atriz diz tudo o que pensa (e você já deve ter percebido isso ao acompanhar suas redes sociais). Em seu Twitter, ela fala sobre feminismo, machismo, política e até se auto-sacaneia. Na segunda-feira (15) virou meme ao recusar um nhoque feito de abóbora durante o programa Mais Você (Globo), oferecido pela apresentadora Ana Maria Braga, 68. Em poucos minutos, dezenas de fotos e frases circulavam pela internet e a própria Tais foi uma das responsáveis por compartilhá-los. “Se eu comesse e ficasse com uma cara ruim, isso iria repercutir ainda mais. Preferi ser verdadeira com ela, eu até a avisei no intervalo, justamente para não ficar aquela coisa chata”, lembra. Vira e mexe, lá está ela envolvida em algum debate. Certa vez, declarou que sua personagem Helena em Viver a Vida (2010), de Manoel Carlos (84), foi um fracasso. Recentemente, também encabeçou um movimento contra assédio sexual dentro da própria Globo. No programa Saia Justa (GNT), que comanda ao lado de Astrid Fontenelle, 55, Mônica Martelli, 48, e a cantora Pitty, 39, não é raro ver Tais soltar o verbo. Será que o marido Lázaro Ramos, 38, sofre em casa? “Sou mandona mesmo... Adoraria mandar no Lázaro”, diz, às gargalhadas. Brincadeiras a parte, Tais é autêntica, poderosa e uma mulher de convicção! Na entrevista exclusiva à CONTIGO!, realizada no salão de Wilson Eliodorio, 47, em São Paulo, a Michele do seriado Mister Brau (Globo) fala sobre sua personalidade forte, abre o jogo sobre casamento e conta como é o seu dia-a-dia com os filhos, João Vicente, 5, e Maria Antônia, 2. 
“É tanto trabalho, que, às vezes, dá ‘tilt’ na minha cabeça”, diz a estrela

Casca grossa
Sem medo das críticas Tais é do tipo “ame ou deixe-a”. Seja na vida profissional ou pessoal. “Não quero deixar ou não de ser polêmica, vou colocar a minha visão sobre as coisas que abordarmos e é isso. O diálogo é a chave de tudo, mesmo que alguém seja muito extremista. E olha que existem muitos assim por aí! No momento em que escolho me posicionar, os críticos vêm com tudo. Dou minha opinião sem agredir ninguém e espero ser respeitada”, fala. Ela logo emenda: “Sou mandona mesmo, mas sei a hora certa. O bom é que o diálogo só fortalece o meu casamento (risos)! No Mister Brau, a Michele é tudo o que eu gostaria de ser. Para falar a verdade, eu adoraria mandar no Lázaro”, brinca. Se a opinião é direta e rápida, ela revela que foi depois da gravidez de Maria Antônia que tudo ficou mais intenso. “Como mãe de menina e artista, não faz sentido ficar calada e eu não tenho nenhum receio de ser criticada… O que já levei de porrada nessa vida, virei casca bem grossa (risos)! Este é o ensinamento que dou para os dois. Quero criar pessoas fortes e de convicções, não é o preconceito ou o machismo que vão enfraquecê-los”, dispara. 

Apesar da rotina atribulada, a atriz não troca um café da manhã com os dois filhos, João Vicente e Maria Antônia, por uma academia. “Mantenho a alimentação bem regrada e é assim que conservo a forma física”

“Divórcio é uma palavra horrível”
No dia-a-dia, Tais também é firme com os filhos. Apesar de ser viciada em internet, a atriz se policia quando está perto das crianças. “Em casa, a menina e o menino são zero tecnologia e não sei se isso é bom ou ruim, na verdade. Tempos atrás, eu e Lázaro compramos um video-­game pro João, para ver se ele ‘desencantava’ e demonstrava algum interesse, mas não deu certo. O aparelho está lá, parado, cheio de teia de aranha. Dizemos que é proibido ver televisão e usar celular ou tablet enquanto comemos e vemos que eles seguem sem precisar mandar”, afirma. Os meninos adoram mesmo é brincar com caixas de presente e fazer artesanato. “A gente transforma em telas de pintura. A única reclamação do mais velho é que ninguém anda lendo para ele antes de dormir, fica extremamente revoltado. Por isso, eu digo: educação é amor, limite e ação”. Para o casal, a disciplina dos filhos é reflexo das atitudes dos dois, principalmente quando as tarefas diárias são bem divididas. “Amo a maternidade, porém, detesto dar banho, o que o Lázaro tem o maior prazer. Ele é um pai excelente, um grande parceiro na criação das crianças. De vez em quando, meu lado mandona fala alto e ele me dá umas chamadas tipo ‘Amor, os filhos não são só seus’.... Somos tão intensos e felizes quanto o casal da televisão! Só não quero ter crises como eles têm, Deus me livre terminar! Divórcio é uma palavra horrível, dá dor de cabeça só de pensar. Hoje, como estamos trabalhando muito, a gente acaba brigando menos. As nossas cobranças são por distância e olhe lá!”, ressalta ela, que ficou separada de Lázaro por poucos meses, em 2008.

Uma selfie divertida das colegas do Saia Justa (GNT), com Mônica Martelli, Astrid Fontenelle e Pitty e ao lado do marido, em Mister Brau

Tour pelo brasil
Durante a sessão de fotos, o celular da atriz toca e ela se emociona ao ouvir uma mensagem de aúdio do primogênito, perguntando por que eles não tinham se visto naquele dia. “O coração derrete instantaneamente quando eu vejo esse tipo de recado. Faz parte da nossa carreira essa ausência, mas é para o bem deles”, resume. Além da TV, o casal também protagoniza a peça O Topo da Montanha, que percorre o país. Em algumas viagens, Tais e Lázaro até conseguem levar as crianças e acabam transformando o trabalho em passeio. “Certa vez, em Recife, o mais velho percebeu o sotaque das pessoas e aproveitei para falar sobre as culturas que o Brasil tem. Só gostaria que o nosso país fosse um lugar melhor para eles viverem, mas isso é um sonho. Vivemos em um estado tão caótico, a nuvem de sujeira é muito grande”, lamenta. 

Ela diz que os filhos são zero tecnologia. “A reclamação do mais velho é que ninguém está lendo para ele antes de dormir, fica extremamente revoltado. Por isso, eu digo: educação é amor, limite e ação” 

Adoção ou barrigão?
Com tudo o que faz, Tais brinca que é uma máquina de trabalho. Ela só cogita parar se decidir ter mais um filho. “Eu gostaria de ficar grávida novamente, pois tenho paixão em cuidar de recém-nascidos. A Michele adotou na série e essa também é uma ideia que tem se fortalecido, porém, é um assunto que precisa de muita atenção e cautela”, reflete. A atriz não descarta até a possibilidade de adotar uma criança refugiada. “Vai que eu viajo para o exterior e meu coração dispara por uma menina, por exemplo? Porém, se eu for adotar, devo olhar para aqui dentro primeiro.” 

19/05/2017 - 12:56

Conecte-se

Revista Contigo!