Alerta fofura! Confira o ensaio newborn do herdeiro do lutador Rogerio Minotouro

Em ensaio temático, lutador de UFC comemora o nascimento de Roger, primeiro filho de seu casamento com Aline Nogueira. Pai de Valentina, 7 anos, ele garante que o herdeiro será faixa preta, sim!

Por Ligia Andrade

Newborn de Roger, o primeiro filho do lutador Rogerio Minotouro | <i>Crédito: Fotos: Nila Costa
Newborn de Roger, o primeiro filho do lutador Rogerio Minotouro | Crédito: Fotos: Nila Costa
Durante as cinco horas de ensaio, estilo newborn, Roger, 12 dias, se comportou como um príncipe, para orgulho dos pais, o lutador de UFC (Ultimate Fighting Championship) Rogerio Minotouro, 40 anos, e a empresária Aline Nogueira, 30. “Ele acordava somente para mamar, fiz questão de parar as fotos para amamentá-lo”, recorda ela, mamãe de primeira viagem. “Tem uma foto muito legal, da nossa ‘encarada’. Foi quando o segurei e ele começou a chorar, pois já estava na hora de mamar”, conta ele. Casado há quatro anos, Minotouro faz questão de ajudar a mulher nesta nova fase do relacionamento. “Gostaria de ajudar mais. Durante a semana, tenho a rotina de treinos e trabalho, como Roger ainda não pode ir comigo ainda para a academia (risos), o meu maior tempo com ele é quando chego em casa. Ajudo a Aline a poder descansar um pouco, enquanto isso posso curtir o meu filhão.” A ex-modelo é só elogios ao desempenho do marido, pai também de Valentina, 7. “Rogerio realmente me surpreende a cada dia, desde a gestação, no parto e, principalmente, nos primeiros dias de vida do Roger, que é um período de adaptação. É nítido o vínculo dele. Sem dúvidas, é um pai nota 10!” O lutador acompanhou também as 10 horas de parto, humanizado. “Aline é muito forte, foi guerreira. Dar forças a ela me fez participar desse momento especial”, ressalta. Para a empresária, o marido foi peça fundamental. “Ele me passou tranquilidade. Tenho certeza de que o nosso filho sentiu essa cumplicidade entre nós. Foi uma superação.” Durante a gestação, Aline engordou 13 quilos, mantendo os treinos e uma dieta direcionada para o desenvolvimento do bebê. “Me dava ao luxo de comer fora da dieta de vez em quando”, explica ela, atualmente 4 quilos acima de seu peso normal, 63. “Tenho 1, 72 metro. O que não me incomoda nem um pouco, pois ainda estou no período de resguardo e assim que a minha obstetra me liberar, volto aos treinos.” A escolha do nome ficou por conta do papai, confidencia a empresária. “No começo não queria, apesar de adorar, porque chamava o Rogerio de Roger. Acabei cedendo e hoje vejo que foi a escolha certa, não poderia ser outro nome, é forte!”

A cara do pai ou da mãe? Um pouquinho dos dois! “Acho ele mais parecido comigo”, confessa Minotouro. “Roger tem uns traços meus”, opina Aline

Filho faixa preta
Assim que o menino nasceu, no dia 9 de fevereiro, Aline o achou parecido com o marido. “Mas a cada dia que passa, estamos vendo alguns traços meus. Independentemente de com quem se parece, estamos apaixonados por ele”, ressalta. O lutador concorda com a mulher. “Engraçado, desde o começo o achava a minha cara, só que ele está com traços dela: o nariz, a boca – mesmo assim, ainda o acho mais parecido comigo (risos).” Encantada com a nova rotina e com o novo membro da família, “virou a minha vida de cabeça para baixo”, Aline não descarta dar um irmãozinho ou irmãzinha a Roger. “Tanto eu quanto o Rogerio temos irmãos. Para nós, depois do vínculo dos pais, o mais importante é o com os irmãos.” De família grande, Minotouro tem quatro irmãos de sangue e mais quatro de criação. “Acho importante ter irmãos e poder contar com eles. Queremos ter mais filhos, sim. E será que ele imagina o filhote usando quimono, aprendendo artes marciais? “O sonho de qualquer pai é que o filho siga o mesmo caminho. Roger vai escolher a profissão dele, mas ser faixa preta vai ser certo aqui em casa. As artes marciais ensinam fatores importantes no desenvolvimento da criança, como disciplina, respeito e caráter. Na metodologia que criamos na Team Nogueira (rede de academias que mantém em sociedade com o irmão Minotauro), além de ensinar, fazemos todo o acompanhamento junto dos pais e da escola. A luta vai fazer parte da vida dele.” 

“Roger vai escolher a profissão dele, mas ser faixa preta vai ser certo aqui em casa”, diz Minotouro

05/04/2017 - 18:55

Conecte-se

Revista Contigo!