Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Últimas / JUSTIÇA

Solange Almeida fala sobre batalha judicial: “Cansei de ser saco de pancadas”

Cantora explicou em detalhes caso que acabou na justiça - e disse que resolveu dar um basta

Redação Contigo! Publicado em 30/05/2019, às 16h12 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h47

Solange Almeida - Reprodução/Instagram
Solange Almeida - Reprodução/Instagram

Solange Almeida se pronunciou sobre a batalha que enfrenta na justiça por conta de sua saída do grupo Aviões do Forró. Visivelmente abalada, a cantora contou, nesta quinta-feira (30), os motivos que a levaram a tomar a decisão e lamentou que o caso tenha se tornado público.

“Essa ação é verdadeira e sei que tem muita gente me julgando por isso, por eu ter saído porque eu quis, realmente, na época eu disse ter saído por querer, em respeito à história da banda, eu não quis ser vítima, nem quis causar nenhum tipo de mal estar, por isso aceitei tudo que foi proposto. Anunciei que queria sair em 2015, chamei os sócios e disse que não ficaria mais na banda, que eu os daria dois anos. Aí eles me disseram, em 2016, que eles não iam continuar o Aviões do Forró. Falaram que iam acabar com a banda no dia 1 de setembro de 2017, que iríamos fazer uma turnê, ganhar muito dinheiro e esse era o acordo. Íamos acabar a banda todos no auge e bem capitalizados e eu não contestei, porque os sócios disseram que eu tinha só mais dois meses para ficar”, explicou

“Logo em seguida, fui convidada pelo Fantástico para dar uma nota, para falar, e eles [empresários do Aviões] simplesmente não deixaram. Me colocaram dentro do quarto, no Piauí, e pediram pra eu fazer um vídeo com o Xand, e eu fiz. Mas levei a culpa inteira de que era uma ingrata, uma escrota, que eu queria mais dinheiro, ganhar sozinha, que eu era gananciosa e não foi nada disso, em momento algum eu quis prejudicar alguém", continuou.

A cantora falou que entrou na justiça, pois estava perdendo o tempo que tinha para receber o dinheiro que deveria ter recebido no momento em que desfez a sociedade e, para que não prescrevesse e ela perdesse o direito, moveu a ação.

“Qualquer pessoa que trabalha tem direitos, e eu trabalhei, abdiquei uma vida e eu tomei essa decisão porque eu cansei de ser saco de pancadas, a mais prejudicada, em pensar no bem estar dos outros e esquecer de mim e não foi só isso que aconteceu, mas não quero falar aqui, pois não quero causar mais confusão, por mim, isso nem teria vindo a publico”.

Solange contou ainda que não sabe quem tornou a história pública e nem deseja saber e que se sente triste que o caso tenha ganhando essa proporção.

“Achava que essa história seria linda do começo ao fim”, disse ela com lágrimas nos olhos e continuou, “vocês não têm ideia de tudo que eu passei, mas uma hora, vocês vão saber. É fácil julgar, mas não queira provar nunca do pão que o diabo amassou”, finalizou.