Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!

Sensitiva Márcia Fernandes entrega mulher que empurrou padre: 'Estava com encosto'

Sensitiva explica o lado espiritual de agressão ao padre: 'Ela foi usada'

Redação Contigo! Publicado em 18/07/2019, às 18h13 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h47

Márcia Fernandes e Padre Marcelo Rossi - Reprodução / Instagram
Márcia Fernandes e Padre Marcelo Rossi - Reprodução / Instagram

A sensitiva Márcia Fernandes comentou sobre o empurrão que uma mulher deu no Padre Marcelo Rossi no último domingo durante uma missa.

No programa Tricotando, ela revelou que a agressora estava possuída no momento em que teve a atitude chocante de empurrar o religioso do altar, provocando uma queda dele lá de cima.

"A hora que o padre levou o empurrão ele falava de Jesus. Se existe Jesus, existe diabo, demônio, o que seja... Espíritos sem luz. Tá na cara que aquela menina estava envolvida com espíritos sem luz. Estava sendo obsediada, com encosto e tals", afirmou ela. 

Márcia ainda comentou o absurdo da situação. "Falaram que ela era bipolar. Mas tinha um encosto muito forte. Foi afrontar um padre com 5 mil pessoas lá. Sem medo... Ela foi usada pois estava com o padrão vibratório muito baixo". 

"Estava fora de si. Hipnose espiritual que se fala. Não é normal. Ela ainda ria. Afrontou Jesus na frente de todo mundo!", finalizou. 

PADRE SE PRONUNCIA

No dia seguinte ao ocorrido, o padre Marcelo Rossi se pronunciou"Muitos sabem do que aconteceu ontem e eu só posso dizer: obrigado, senhor, e obrigado, mãe [olha para a imagem de Maria]. Porque ela passou na frente. Não estaria aqui hoje, confesso a vocês", começou, em tom de desabafo.

E seguiu agradecendo. "Fui checar depois e, misericórdia, realmente, não há uma explicação. Não tem como me defender, foi só a mãe, mesmo. E, graças a Deus, estou aqui. Deus é demais. Obrigado, Senhor, para te servir, e, mais do que nunca, guerrear, porque a fúria do inimigo, vocês viram... Mas, Deus é maior. Amém".

Em seguida, deu detalhes sobre o seu estado de saúde. "Fui salvo. Foi milagre. Não bati a cabeça. Todos sabem que eu tenho problema na coluna. Não tocou a coluna. Machucou muito a perna, mas, só [posso] agradecer a Deus. Amém. Estou ótimo".

Bem-humorado, ele ainda fez uma brincadeira com a sigla B.O., de boletim de ocorrência. "Ontem eu fiz um B.O.. Padre, que B.O.? Bíblia e oração. Se alguém fizer calúnia contra você, faça o maior B.O.: Bíblia e oração. Esse é o melhor boletim de ocorrência. E onde é a delegacia? Capela. Ao bom entendedor, meia palavra basta", finalizou.