Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!

Selton Mello recebe carinho dos amigos em pré-estreia de O Filme da Minha Vida

O ator atua, dirige e escreveu o roteiro do filme

Por Tainá Goulart Publicado em 26/07/2017, às 18h38 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h45

Selton Mello em O Filme da Minha Vida
Selton Mello em O Filme da Minha Vida - Fotos: Brazilnews
O elenco de O Filme da Minha Vida está em maratona de lançamento pelo Brasil. Na terça-feira (25), Selton Mello, 44 anos, que roteiriza, dirige e atua no filme, participou da pré-estreia em um shopping de São Paulo, ao lado dos outros parceiros de cena, como Johnny Massaro, 25, o protagonista, Bruna Linzmeyer, 24, Bia Arantes, 24, e Rolando Boldrin, 80. Além deles, vários amigos famosos fizeram questão de prestigiar a equipe do longa, cuja estreia nacional está prevista para quinta­feira (3). Os casais Alinne Moraes, 34, e Mauro Lima, 49, Malu Mader, 50, e Tony Bellotto, 57, e as atrizes Flávia Alessandra, 43, e Isabella Santoni, 22, que engordou 13 kg depois das férias, estavam entre os convidados do evento paulista. Na segunda-feira (24), no Rio, o agito não foi diferente e contou com nomes importantes da TV brasileira, como Tony Ramos, 68, que saiu chorando após a exibição do filme. “O filme é um poema, sensível e lindo”, disse o ator, acompanhado da mulher, Lidiane Barbosa, 67. 

Também estavam os casais Antônio Fagundes, 68, e Alexandra Martins, 38, Alexandre Nero, 47, e Karen Brusttolin, 30, e Michel Melamed, 41, e Letícia Colin, 27. Michel é ex-namorado de Bruna e, no evento, mostraram que a amizade continua. Carol Dieckmann, 38, Danton Mello, 42, irmão de Selton, e Paulo José, 80, eram só elogios ao elenco. A história do filme é baseada na obra Um Pai de Cinema, do escritor chileno Antonio Skármeta, 76, e se passa nos 1960 para contar a história do jovem Tony Terranova na Serra Gaúcha, no Sul do Brasil. Além do conflito de lidar com a partida de seu pai para a França, Tony precisa superar as novas experiências juvenis. “Estou muito emocionado porque é um filme singelo e cheio de ternura. É um bálsamo para o público nos dias de hoje, uma flor”, disse Selton.