Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / Realidades

'Se Eu Fechar os Olhos Agora': nova série da Globo aborda racismo no Brasil dos anos 60

Com Débora Falabella e Antonio Fagundes, série chega ao Globoplay em abril

Redação CONTIGO! Publicado em 18/03/2019, às 14h36 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

João Gabriel D’Aleluia, Antonio Fagundes e Xande Valois - Divulgação/Globo/Mauricio Fidalgo
João Gabriel D’Aleluia, Antonio Fagundes e Xande Valois - Divulgação/Globo/Mauricio Fidalgo

Se Eu Fechar os Olhos Agora aborda questões delicadas do Brasil de ontem e de hoje.

A minissérie, que estreia em abril de 2019 na Globo e no Globoplay, é a adaptação de um livro de Edney Silvestre. Com toques de Conta Comigo (e obviamente do conto de Stephen King em que o filme foi baseado), Se Eu Fechar os Olhos Agora conta a história de dois amigos na infância, Paulo (João Gabriel D’Aleluia e Milton Gonçalves na narração que dá a moldura à trama) e Eduardo (Xande Valois), que um dia descobrem o corpo de uma moça, chamada Anita (Thainá Duarte). O crime muda completamente a vida dos dois, que passam a investigar e tentar solucionar a questão com a ajuda de um homem misterioso chamado Ubiratan (Antonio Fagundes).

A minissérie aborda várias questões espinhosas: racismo, machismo e elitismo, por exemplo. Passada nos anos 60, a trama mostra coisas que infelizmente não ficaram no nosso passado e se reflete nos inúmeros segredos dos personagens da cidade de São Miguel. Poderosos ou não, eles tentam manter suas aparências perfeitas. Além de Anita, ao longo da minissérie outros assassinatos acontecem, aumentando o risco para os dois protagonistas. Entre as figuras da cidade estão o prefeito Adriano (Murilo Benício), a primeira-dama Isabel (Débora Falabella), o empresário Geraldo (Gabriel Braga Nunes), sua esposa Adalgisa (Mariana Ximenes) e, é claro, o marido de Anita, Francisco (Renato Borghi).

Débora Falabella comentou o papel: "É uma série que se passa na década de 60, mas com muita identificação com o que a gente vive hoje. As mulheres da história são muito reprimidas e tentam, a todo custo, sair dessa bolha". Antonio Fagundes, que já tinha contato com a obra por ter narrado o audiobook, ecoa o sentimento: "A história tem uma atualidade, embora se passe em outra década".

O autor, Ricardo Linhares, foi quem decidiu fazer a adaptação, e contou com a aprovação de Edney Silvestre, que comentou: "O Ricardo sublinhou os temas do racismo e da intolerância do meu romance. Eu lia sempre muito curioso para saber como ele transformaria aquele história. Amei o resultado."

A minissérie passou por alguns percalços até o lançamento: ela foi originalmente lançada no Net Now, o serviço de streaming on-demand (basicamente uma locadora virtual) da Net. Seria lançada na Globo em janeiro, mas acabou adiada para dar espaço para o BBB. Finalmente terá a estreia em abril, simultaneamente no Globoplay e na Globo.