Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Últimas / Exclusivo

Sucesso na Globo, Michelle Loreto afirma: 'Estou vivendo o melhor dos dois mundos'

Apresentadora do Bem Estar abre o jogo sobre o sonho e os desafios de trabalhar na TV: 'É um prazer enorme estar onde eu estou'

Priscilla Comoti Publicado em 26/08/2019, às 10h17 - Atualizado às 17h34

Michelle Loreto - Marco Maximo; Style: Raissa Arcuri; Make: Priscila Lima
Michelle Loreto - Marco Maximo; Style: Raissa Arcuri; Make: Priscila Lima

Há quase 15 anos na telinha da Globo, a apresentadora Michelle Loreto construiu uma bela trajetória até chegar ao comando do quadro Bem Estar - atualmente exibido dentro do Encontro com Fátima Bernardes e do É De Casa. Ela já foi repórter de rua, garota do tempo e substituta de outras apresentadoras. Aos 39 anos, a jornalista realizou o sonho de ter um programa para chamar de seu. 

"Olha, o ‘Bem Estar’ é um sonho realizado, sempre fui fã do programa. Apesar de estar na apresentação também faço reportagem. Posso dizer que estou vivendo o melhor dos dois mundos", afirmou ela, que agora só deseja continuar seguindo os tão desejados passos dentro do jornalismo. 

Afinal, a morena sempre quis trabalhar na TV. "Tem uma história muito curiosa que a minha família conta. Eu tinha seis anos, estava vendo o Jornal Nacional com meu avô paterno e disse para ele: “Vô, você vai me ver aí”. Ele, surpreso, disse: “Onde?”. E eu respondi: “No Jornal Nacional”. Bem, quando eu entrei a primeira vez no JN, na previsão do tempo, em 2006, a primeira pessoa que liguei foi pra ele e a gente vibrava junto", afirmou ela. 

Em conversa com a CONTIGO!, Michelle relembrou o início da carreira na Globo, a mudança de Recife - onde nasceu - para São Paulo e também contou mais de sua rotina na TV, vaidade, cuidados com o corpo e sonhos. Confira a entrevista:

- Você sempre quis ser jornalista?

Sim. A família do meu pai é dentista, cresci num consultório odontológico. Havia uma grande torcida para eu ser dentista. Mas eu sempre quis o jornalismo. Desde criança gostava de ler, escrever, de me comunicar e de estar informada, gostava mesmo de notícia.

- Como você foi começar a trabalhar na Globo? Era um sonho?

Começar a trabalhar na Globo foi um sonho realizado e um desafio ainda maior porque eu tinha 25 anos e foram muitas mudanças juntas – trabalhar em uma grande empresa de comunicação no País, sair primeira vez da casa dos meus pais pra ir morar sozinha e ainda com uma mudança de cidade – de Recife para São Paulo.

- Como foi se mudar de Recife para São Paulo? Estranhou muito?

Foi tranquilo, acho que ter 25 anos, na época, me ajudou a levar a mudança de um jeito mais leve. Acho que não tinha muita noção da mudança. E, também, só pensava em trabalhar, crescer profissionalmente. Nunca pensei em morar em São Paulo. Mas logo me apaixonei pela cidade. Adoro essa coisa frenética da cidade. Sou muito feliz aqui, fiz muitos amigos. E, hoje, ainda tenho uma irmã morando aqui, o que me dá o aconchego de família.

-Você já foi repórter, apresentou o mapa-tempo e apresentou alguns programas. Como foi passar por tantas funções diferentes até aqui?
Tudo que fiz até agora me deixa mais segura para estar onde estou. Sou grata por cada função que passei.

A época da previsão do tempo me trouxe desenvoltura no estúdio – fiz a previsão na época do cenário virtual, o que me trouxe consciência de posicionamento de câmera, marcação de cena. A reportagem de rua é uma paixão – é onde tudo acontece, você está onde a notícia está, você fica mais preparado, mais aguçado. Quando saí da previsão, voltei para a reportagem e isso foi muito importante na minha carreira. O ‘Como Será?’ me trouxe leveza e me ensinou muito na apresentação! E o ‘Bem Estar’ é uma escola – aprendo todo dia, sobre um assunto que amo, saúde. Trabalho com uma equipe incrível, criativa, com quem também aprendo todo dia. É um prazer enorme estar onde eu estou.

-Qual foi o momento mais marcante para você dentro da Globo?
Um série de reportagem que fiz, no ano passado, para o ‘Bem Estar’, sobre depressão. Foram meses de gravação, ouvindo depoimentos marcantes, aprendendo sobre essa doença que ainda tem muitas perguntas para serem respondidas. E mais alguns dias escrevendo, revivendo tudo que tinha ouvido até então. Cresci muito no trabalho e na vida. Não tinha como sair indiferente.

-Qual foi o seu maior desafio na carreira até aqui?

Apresentar o ‘Bem Estar’, pela primeira vez, há 3 anos, e voltar para a reportagem. Dois momentos felizes e que pediram muito de mim em dedicação e concentração.

-Como é apresentar o Bem Estar?
É uma delícia! Estou na equipe há quatro anos. Aprendo todo dia. E me sinto muito feliz por passar informações e dicas tão úteis para as pessoas. Já conheci muita gente que mudou o estilo de vida, descobriu alguma doença, vendo o ‘Bem Estar’.

-Qual é a coisa mais divertida de fazer na produção do Bem-Estar? E a mais complicada?

As dinâmicas são bem divertidas e interessantes. Como mostrar para uma pessoa como o alimento é digerido dentro do estômago? Como mostrar da forma mais didática as porções que ela tem que comer, por dia, de frutas, legumes e verduras? Pra isso, a equipe de arte capricha e a mente criativa da nossa diretora, Patrícia Carvalho, constrói as melhores maneiras de mostrar tudo isso. E a mais complicada é que sou meio desastrada, por isso, fico sempre atenta pra fazer tudo direitinho!

-Você já viveu alguma situação, que, na hora, lembrou de um aprendizado que teve no Bem-Estar? Como foi?
Sim! Há dois anos e meio, fui mordida no rosto pela minha cachorrinha, a Blika. Na hora, lembrei que antes de ir ao médico, tinha que lavar muito com água e sabão, para evitar infecção. E isso foi o que me ajudou muito. Levei 20 pontos, mas não tive complicação graças a esse cuidado. E, isso, aprendi no Bem Estar.

-Você esperava se ver hoje em dia com seu próprio quadro diário na TV? Sente uma responsabilidade por isso ter acontecido?
Quando a gente trabalha e se dedica, sempre espera que as melhores coisas aconteçam. Estou muito feliz com esse momento. E, sim, é uma grande responsabilidade. Falamos de um assunto muito importante, afetamos a vida de milhões de pessoas. Por isso, estou sempre lendo muito sobre o assunto e converso com os médicos que participam do programa.

-Estar todo dia na TV te deixou mais vaidosa?
Como já estou na TV há quase 20 anos, aprendi a conhecer o que fica bem em mim. E sei o que está mudando com o tempo. Não me considero muito vaidosa. O que eu gosto é de me cuidar, pra me sentir bem. Isso vale pra pele, pro corpo. Claro que estar na TV faz a gente se observar mais. É um espelho. Por isso, cuido da minha cabeça também para não fazer disso o centro da minha vida. Vaidade vai até o limite da sua saúde. Se comprometer a sua qualidade de vida, não tá certo.  

-Você faz tratamentos estéticos, dieta, exercícios...? Tem algum truque de beleza?
Faço pilates, yoga e musculação. Pra pele, sempre usei protetor solar e, claro que, chegando aos 40, estou redobrando os cuidados. Mas acho que o mais importante de tudo é manter a pele limpa, hidratada e usar protetor solar! E, pro corpo, se mexer sempre, com aquilo que você gosta!

-Como é a sua rotina em um dia de trabalho? Tem que acordar muito cedo? O que gosta de fazer nas horas livres?
A rotina na TV, até o ‘Bem Estar’ entrar no ar é bem corrida. Acordo às 6 da manhã, chego à TV por volta de 7:30. Entramos ao vivo no Encontro e também gravamos as entradas do ‘É de Casa’, material para o G1 e o nosso podcast. Depois que tudo acaba, temos reuniões de pauta e de estúdio. Alguns dias, também gravo reportagens na rua. E, todos os dias, em casa, estudo o programa que vou apresentar  no outro dia.  

Nas horas livres, faço exercício físico, passeio com minha cachorrinha, a Blika, cuido da minha casa e gosto de ler e meditar. Aproveito o fim de semana pra ver meus amigos e minha irmã, Mirella, e adoro conhecer novos restaurantes, ir pra o cinema e teatro – tenho amigos atores que me indicam e me levam para ótimas peças.

-Como anda o coração? Você está solteira, namorando, casada? Você tem desejo de ter filhos, formar família?
Solteira. E feliz. O coração tá bem tranquilo!

-Qual é o seu sonho na profissão?
Continuar esse projeto que estou agora já é o primeiro. Os outros, vou construir ao longo do caminho.

-E um sonho pessoal?

Tenho uma irmã de 4 anos e o meu maior desejo é vê-la crescer feliz, forte, segura e saudável. Pra mim, ainda quero realizar alguns desejos de viagens e poder olhar pra trás e ver que estou aprendendo e evoluindo.