Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Últimas / Internet

Mayra Cardi rebate polêmicas com a filha e faz revelação: “Fui abusada sexualmente”

Coach não aguentou críticas e fez desabafo em relato tocante

Redação Contigo! Publicado em 12/12/2018, às 14h41 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Mayra Cardi - Reprodução/Instagram
Mayra Cardi - Reprodução/Instagram

Na manhã de quarta-feira (12), Mayra Cardi publicou vídeo de sua filha Sophia, de 2 meses, com uma toalha cobrindo a cabeça da pequena. A bebê, que é fruto do relacionamento com Arthur Aguiar, estava saindo do banho e a mamãe se divertia dizendo que ela adora brincar de esconder. 

Com isso, mais uma polêmica foi formada pelos haters da coach, que disseram que Sophia podia estar sufocando, especialmente por ser recém-nascida e não ter forças para remover o objeto. 

Com uma nova postagem no Instagram, Mayra abriu o jogo rebatendo as críticas e fez revelações sobre seu passado. Mais cedo, ela pediu "mais amor, por favor" para os críticos de suas atitudes.

“Tenho 35 anos e já sou uma empresária de grande porte, com prestadores de serviços com famílias enormes que dependem de mim, tenho um filho de 18, fui mãe aos 17 e tive que aprender com a vida a como cuidar dele e botar comida para dentro de casa. Já passei muito aperto, andei muito de metrô e ônibus, já dividi muita marmita de 5 reais com minha mãe porque era o que tinha”.

“Fui abusada sexualmente, sequestrada, apanhei, lutei muito para chegar onde estou e ter tudo que tenho, perdi meu pai de câncer e tive que virar minhas o adulto responsável da casa e de muitas vidas, e sou sempre muito alegre nunca conto minhas desgraças para ninguém, pois acho que elas só servem para nos empurrar para frente e não para sermos a vítima”, continua.

“Hoje tenho tudo que nunca imaginei, uma empresa que realiza sonhos e transforma vidas, que devolve amor próprio e esperança. Tenho um marido maravilhoso, uma casa linda, saúde e um casal de filhos. Eu poderia ter quatro babás porque hoje posso pagar, mas escolhi cuidar integralmente da minha bebê, e passo os meus dias assim, com peito para fora sem poder colocar as roupas que eu gostaria, sem poder sair de casa, acordando de 2 em 2 horas para ser mãe, com seio sangrando, olheiras e sono atrasado, escolhi viver para minha filha mesmo podendo e tendo a escolha de ter ajuda eu não quis”.

“Infelizmente temos vivido um momento muito chato onde somos julgados o tempo todo e existem muitas pessoas cheia de dedos para apontar. Fico muito triste com o mundo que estamos criando para nossos filhos. Eu continuarei lutando como sempre lutei, fazendo o bem como sempre fiz e principalmente entregando amor a toda vez que eu receber ódio, pois é isso que eu tenho para entregar”, finalizou.