Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Mariana Ferrão reflete sobre a estreia na Dança dos Famosos

Apresentadora fala sobre o seu choro: 'E sentimento, não tem jeito, às vezes, transborda'

Redação Contigo! Publicado em 27/08/2018, às 21h57 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Mariana Ferrão - Globo/Ramón Vasconcelos
Mariana Ferrão - Globo/Ramón Vasconcelos

A apresentadora Mariana Ferrão, que divide o comando do Bem Estar com Fernando Rocha, está radiante com o resultado de sua estreia na Dança dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão. Nesta segunda-feira (27), ela escreveu uma mensagem sobre o que sentiu após ver a sua performance no palco.

“A minha verdade é esta que vibra aqui dentro. ‘Sempre há tempo para sentir’ – foi a frase que pedi para meu parceiro guardar no peito. Espero que ela nos embale por muitos ritmos até dezembro neste desafio incrível chamado Dança dos Famosos”, afirmou ela.

Mariana ainda falou sobre o dia em que chorou nos Stories do Instagram e comoveu seus fãs. “E sentimento, não tem jeito, às vezes, transborda. Os mais nobres vazam pelos olhos. Podem vir em lágrimas que misturam no sal dor, saudade e medo. Ou num brilho radiante de um sorriso enrugado de tão grande misturando rebolados, giros e acrobacias. Às vezes vem tudo rápido demais. Porque simplesmente não há tempo”, disse ela.

A apresentadora ainda comentou sobre o desgaste da rotina intensa de ensaios. "É preciso conhecer a música, o parceiro, a coreografia, o palco e o público em uma semana. E isso tudo no meio da turbulenta ponte aérea Rio-São Paulo! E entre um voo e outro eu me conheci mais em uma semana do que nas últimas décadas todas. O corpo inerte reage ao movimento e traz à tona mistérios guardados na escuridão do fundo. Tesouros sombrios para os quais muitas vezes não queremos olhar. Sim, há tanto valor na nossa dor quanto no suor, no calor e no amor. Acolher a onda que bate, reconhecer a sua força, deixar que ela te molhe e transformá-la em espuma dentro de você. O mar me ajudou. O mar me ajuda sempre,ainda que seja só em metáfora. Mas não foi só o mar. O que mais me ajudou foi uma rede de apoio incrível, daquelas que você aprende a confiar até pra saltar de olhos vendados para o abismo! Nesta rede, todo mundo segurou minhas pontas! Os meus companheiros de jornada, homens e mulheres, que me disseram sempre que eu não estava sozinha!"