Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / Luto

Junno Andrade lamenta morte de Dudu, cachorrinho de Xuxa: 'Amor puro, do mais único e lindo de se ver'

Com relato emocionante, cantor contou mais sobre a relação entre a apresentadora e o animalzinho

Redação Contigo! Publicado em 13/03/2019, às 09h16 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Xuxa Meneghel, Junno Andrade e Dudu - Reprodução/Instagram
Xuxa Meneghel, Junno Andrade e Dudu - Reprodução/Instagram

A semana está sendo complicada para Xuxa Meneghel, após a apresentadora perder seu maior companheiro, seu cachorrinho Dudu. Com 11 anos de vida, o animal da raça yorkshire sofreu uma parada cardíaca e não resistiu. Muito triste, a apresentadora lamentou a perda

Junno Andrade, namorado de Xuxa, compartilhou cliques ao lado dela e Dudu, acompanhado de um texto emocionante sobre a relação da família.

"Meu pai era um apaixonado por cachorros, por bichos, e minha irmã trouxe isso bem forte em seu DNA. Eu sempre tive cachorro, gato, peixe, até passarinho, mas não entendia o amor que eles sentiam pelos bichos, aquela paixão. Sério, achava meio exagerado. 'Amava' meus bichinhos, pelo menos pensava que sim, mas era diferente, outra intensidade. Até ser apresentado por um carinha minúsculo, carismático, com uma personalidade marcante, aliás, hoje nem o considero mais um cachorro, no mínimo um duendezinho, que atendia pelo nome de Dudu", relembrou ele.

"Sim, Eduardo Meneghel, o Duduzinho. No nosso segundo encontro, já fui recebido por um sorriso e algo que parecia uma reverência. Ele abaixava a cabeça em meio a centenas de abanadas com seu rabinho cotôco, que mais parecia um liquidificador. Com o tempo isso foi aumentando, ele esfregava seu corpinho pelo meu corpo, como se quisesse entrar dentro de mim. A gente quase conversava, tinhamos alguns códigos, eu quase sempre acertava quando ele queria brincar, ir fazer xixi, cocô, comer. Até discutia com ele".

A relação da família era tão intensa que Dudu sabia como se comunicar. "Queria que o tempo voltasse para não reclamar mais das vezes que ele ficava latindo sem parar, querendo chamar minha atenção. Tudo que eu queria agora era ter enxaqueca de tantos latidos. Sim, era comigo mesmo. A Xu perguntava: 'O que você quer, Dudu?', e ele olhava para mim, balançava a cabeça, tipo 'vem cá, papai', vamos brincar ou apenas deite aqui do meu lado, parecia até saber que tinhamos pouco tempo. Com o tempo, ele também escolhia o meu colo, o meu braço, se sentia seguro. Ele fez com que sua mãe confiasse seus cuidados a mim".

Não é segredo que Xuxa tratava seu companheirinho com todo seu carinho de mãe. "Hoje posso dizer que entendo perfeitamente o amor que meu pai e minha irmã sentiam. Aprendi fora de casa, acho que o ciúmes de não me sentir igual a eles me impediu de compreender, mas vendo a relação entre a Xu e o Dudu foi inevitável. Era amor puro, do mais único e lindo de se ver. A Xu sempre deu voz ao Dudu, permitia, respeitava seu espaço, suas vontades, sempre o tratou como filho, e não tenho dúvidas que era, afinal, alma não tem raça, espécie, cor. Então, estou aqui apenas para agradecer o amor e o respeito que aprendi a sentir por esse carinha tão meu amigo, tão presente e tão amoroso".

"O Dudu era temperamental com a maioria das pessoas, eram poucas as suas escolhas e preferências, no entanto, nunca sequer rosnou para minha filha, como uma demonstração de respeito, por ela ele descartou qualquer adaptação, como as vezes era preciso. Meu filho de pelo, filho que ganhei da minha amada, e ele me fez merecedor desse amor, me escolheu e me ensinou, me cativou. Agora siga em paz, meu filhote, leve com você todo o amor que você conquistou até aqui, e não é pouco, é infinito. Você com certeza estará sempre nas minhas melhores lembranças. Um dia a gente se encontra de novo", acrescentou.

Junno finaliza prometendo para Dudu que cuidará de sua mamãe Xuxa. "Obrigado por nos proteger tanto, você, tão pequeno, era um gigante quando queria nos proteger, e eu prometo continuar protegendo sua mamãe amada em sua ausência física, fica tranquilo. Te amo, meu filho de pelo. Aprendi esse termo tão apropriado com sua mãe, mas esse lugar foi você quem conquistou em meu coração. Um dia a gente se reencontra e vou brincar de novo com você, vou contar as horas"