Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / Exclusivo

Catia Fonseca abre seu segundo ano na Band com novidades e promete maior proximidade com o telespectador

Determinada, apresentadora estreia novo cenário e comemora transformação do 'Melhor da Tarde'

Marcos Paulo Neiva Publicado em 11/03/2019, às 15h00 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Catia Fonseca avalia primeiro ano na Band: ''Foi um ano das pessoas me descobrirem'' - Reprodução
Catia Fonseca avalia primeiro ano na Band: ''Foi um ano das pessoas me descobrirem'' - Reprodução

À frente do Melhor da Tarde, na Band, a apresentadora Cátia Fonseca nos recebeu na emissora horas antes de entrar no ar. Enquanto preparava cabelo e maquiagem, Catia abriu o jogo sobre os bastidores do programa, carreira e vida pessoal. Muito descontraída e comunicativa, a apresentadora não fugiu das perguntas e com muita clareza explicou seus pontos de vista.

Marcamos a entrevista para a quinta-feira, 28 de fevereiro, dia chuvoso em São Paulo e véspera de aniversário. No dia seguinte, 1º de março, o Melhor da Tarde celebrou seu primeiro ano no ar.

Mas é apenas nesta segunda-feira, 11 de março, que o programa estreia uma série de novidades - entre elas um novo cenário, novos quadros e um visual mais moderno.

Analisando essa primeira fase, Catia contou que foi um ano de adaptações. “O primeiro ano do Melhor da Tarde, a metade desse ano, seis meses mais ou menos, foi para descobrirmos o que o público da Band gostava de ver. A gente começou do zero mesmo, literalmente, então as pessoas tinham que descobrir que eu estava aqui. Eu vim da Gazeta, que é uma emissora estritamente São Paulo, então foi conquistar de laçada, as pessoas descobrirem que eu estava na Band e nesse horário”.

“Foi um ano das pessoas me descobrirem e da gente descobrir o que o público da Band quer ver”, acrescentou.

Depois de 15 anos de TV Gazeta, Catia mudou para a emissora do Morumbi. Retrocedendo ao dia da véspera de sua estreia na nova casa, ela revelou que estava tranquila. “Não era aquele estresse que te paralisa e não era medo, foi uma ansiedade. Se eu falar que fiquei paralisada, não fiquei. Mesmo porque programa ao vivo, se você paralisar, você paralisa todo dia”.

Na concepção do cenário, nenhuma exigência ou pedido extravagante, o importante era a funcionalidade e adequação ao vídeo e proposta do programa. “Eu não tenho isso, eu não tenho nem a casa dos meus sonhos. Eu achei o cenário lindo, mas ao mesmo tempo vimos que ele não estava funcional para o dia a dia”.

Para adequar e atender melhor ao programa e equipe, algumas alterações foram feitas. E vem aí uma novidade, o segundo ano do Melhor da Tarde virá de casa nova, com novo cenário, abertura e novos quadros. “Uma característica desse cenário que vem agora nesse segundo ano na Band é justamente trazer ele mais próximo do telespectador”.

Como boa telespectadora, Catia tem suas preferências pessoais, mas isso não interfere no seu trabalho no Melhor da Tarde. “Meu programa favorito é aquele que eu assisto em casa, eu acho que assim que tem que pensar. Se eu falasse o que faria no programa se eu fosse assistir, seriam mil coisas que legais para mim, mas talvez não para o público, então eu consigo superar muito isso”.

Um exemplo disso é o quadro de artesanato. “Eu adoro fazer artesanato, mas as pessoas não querem ver artesanato e faça você mesmo. Já tentei encaixar umas três vezes e não deu certo”.

Audiência não é algo que a preocupa. Disposta a fazer seu melhor, Catia deixa o estresse do Ibope para a direção. “Quando estou no ar não é uma preocupação minha, eu estou fazendo meu melhor”.

O segredo é o equilíbrio. “Me falar que hoje não está indo bem não me abala e se me falar que está indo fantasticamente bem, também não me abala. Porque estou fazendo o melhor que eu posso naquele dia. Então vamos nos adequando, mas emocionalmente não fico abalada, não”.

Quer ver Catia determinada a conquistar algo? É só dizer que ela não irá conseguir. “Uma característica pessoal minha, se falarem que não vai dar certo, eu digo: ‘Ah, criatura, agora você está lascado’. Eu já queria, mas agora vou conquistar para te provar”.

Com anos de televisão, os telespectadores acompanharam a evolução do estilo de Catia. A apresentadora afirmou que não possui estilo fixo e que ele varia conforme sua vontade. “Estou em uma fase verde e azul, eu adoro verde e azul, mas amanhã eu posso gostar de amarelo. Eu me permito fazer as coisas. Se estou a fim de andar só de tênis, eu ando só de tênis, se estou a fim de usar salto, eu ando de salto. Acho que isso mostra o quanto eu não sou fixa em uma coisa. Não tenho ideia fixa com as coisas, nem com roupa e estilo”.

Outra mudança na aparência da apresentadora foi seu cabelo. Naturalmente cacheado, Catia adotou os fios lisos pela praticidade. Com um realinhamento de fios feito por Robson Jassa, o cabelo liso é produzido todos os dias pelos cabeleireiros da Band. “Na praia eu uso ele encaracolado e as pessoas perguntaram porque eu não voltava com o cabelo assim. Mas eu nunca larguei para ter que voltar”.

Paramos a entrevista quando faltavam 30 minutos para o início do programa. Catia correu para o camarim e trocou a blusa branca e tênis por um vestido preto e branco e salto alto. E tudo isso em tempo recorde, menos de 5 minutos.