Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!

Bruna Marquezine rebate críticas que sofreu após término com Neymar: ''O mundo é muito machista''

Em entrevista, ela abriu o coração e partiu para o ataque contra as críticas

Redação Contigo! Publicado em 19/01/2019, às 12h01 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Bruna Marquezine - Reprodução/Instagram
Bruna Marquezine - Reprodução/Instagram

Em entrevista para a edição portuguesa da revista GQ, a atriz Bruna Marquezine rebateu as críticas que sofreu após o término com Neymar Jr.

"Acho que o mundo é muito machista ainda. Existe uma coisa que eu acho muito curiosa: as pessoas que fazem esse tipo de comentários são pessoas que normalmente querem justificar a incapacidade delas, de não terem conseguido conquistar o que desejam, desmerecendo os outros. E isso pode ser feito através de um comentário machista, dizendo que o sucesso de uma mulher vem de um relacionamento com um homem famoso, ou de várias outras formas, porque você conhece as pessoas certas, ou porque é amigo de tal pessoa, mas nunca pelo seu talento ou mérito", disse ela.

Ela também contou que viveu muitas situações estranhas em sua carreira, mas que só hoje percebe que se tratavam de assédio.

"Quantas coisas eu tinha deixado passar e quanto essas coisas me feriram, sem que eu percebesse. Principalmente neste meio. Num set de gravação, normalmente a maioria dos profissionais são homens, então eu já me senti muitas vezes assediada sem perceber. Houve coisas que já me traumatizaram e hoje eu sei que é assédio", contou Bruna.

Ainda durante a entrevista, Marquezine contou que não se enxerga como um símbolo sexual.

"Eu acho forte. Até porque não é um título que eu escolhi ou que eu busquei. Foi algo que surgiu naturalmente, e é um olhar externo, não é o meu olhar. Não me sinto obrigada a manter essa imagem de sex symbol, até porque eu não me considero um. Eu acho que toda a mulher tem um lado sensual, e que pode ser explorado de diversas maneiras, e é óbvio que eu exploro o meu quando eu desejo, e gosto de ter esse lado sensual, mas eu não acho que eu seja só isso. Eu sou muito além disso. Essa é uma parcela muito pequena minha, mas que eu gosto e valorizo, principalmente no meu trabalho, e gosto de usar nos momentos em que faz sentido", disse ela.