Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!

Arlindo Grund faz tatuagem em homenagem ao marido, o jornalista Fabio Paiva

Dono de 61 desenhos, o apresentador conta como surgiu seu ‘vício’, aos 12 anos, após uma viagem em família

Por Tainá Goulart Publicado em 30/08/2016, às 15h54 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h44

Arlindo Grund - Martin Gurfein
Arlindo Grund - Martin Gurfein
Os desenhos coloridos pelo corpo de Arlindo Grund são muitos. Como o apresentador do programa Esquadrão da Moda (SBT) costuma aparecer todo coberto na televisão e nos eventos, quase não dá para acreditar que ele tem 60 tatuagens... Quer dizer, 61, contando com a que a CONTIGO! acompanhou, no estúdio da tatuadora Maria Fernanda Brum, no bairro do Jardins, em São Paulo. “Eu nunca falo pra ninguém e não deixo nenhum acompanhante vir comigo. É quase um ritual, só a Fernanda sabe dos meus planos. O segredo é tanto que nem o Fabio sabe que será uma homenagem pra ele”, diz Arlindo, casado há 24 anos com o jornalista Fabio Paiva, que decidiu fazer as iniciais do casal no braço.


Arlindo Grund convidou a CONTIGO! para acompanhar o 'nascimento' de mais uma de suas 60 tatuagens

As letras foram feitas dentro de um envelope em estilo vintage, a pedido do apresentador, que teve essa ideia a partir das cartas e bilhetes trocados entre os dois, no início do relacionamento. “Queria fazer algo mais significativo, por isso o envelope com as iniciais. Hoje, o mundo está tão tecnológico e sem comunicação, que resolvi resgatar nossas trocas de bilhetinhos e cartas. Nós somos um casal bem romântico. Mas, no fundo, é mais um pretexto para me tatuar. Acho que sou viciado, sempre procuro um motivo, nunca tatuo aleatoriamente. E 24 anos juntos é um bom motivo para isso, não?”


Essa é a quarta tatuagem que Arlindo faz com Maria Fernanda Brum

VITRINE QUE O FEZ SONHAR 
A história de Arlindo, ou ‘vício’, com a tatuagem começou a ser escrita quando ele ainda era criança, depois de uma viagem com os pais. “Aos 12 anos, eu viajei pra Amsterdã (Holanda) e aquilo foi uma loucura pra mim, vendo aquelas famosas vitrines. Em uma delas, havia um cara tatuando e aquilo me fascinou muito. Cheguei no Brasil e fui procurar um profissional para fazer a minha primeira tatuagem. Porém, o cara não deixou e falou que eu teria que voltar com uma autorização dos meus pais. Voltei lá, com 18 anos e, enfim, realizei meu sonho”, relembra ele, que fez um beija-flor na virilha, para lembrar dos momentos gostosos que passava ao lado de uma das avós. “Ouso dizer que toda a minha história está tatuada no meu corpo, pois, pra mim, cada uma lembra algum episódio ou pessoa da minha vida. As pessoas têm uma reação bem engraçada quando sabem que tenho tatuagens, principalmente os que assistem ao programa. É uma opção minha cobrir, pois acho que não posso querer que o meu público entenda minhas opções e gostos. Mas, aos poucos, estou mostrando e adorando a receptividade de todos. Assim, eu só fico com mais vontade de me riscar (risos)!

Além da homenagem, o apresentador possui outros desenhos significativos pelo corpo