Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Últimas / Carnaval

Antônia Fontenelle manda recado para o governo Bolsonaro: “Quero deixar registrado o meu desapontamento”

Apoiadora do presidente eleito, ela fez crítica em publicação na web

Redação Contigo! Publicado em 14/11/2018, às 11h38 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Antonia Fontenelle - Reprodução/Instagram
Antonia Fontenelle - Reprodução/Instagram

Apoiadora de Jair Bolsonaro, Antônia Fontenelle desabafou sobre as notícias envolvendo o novo governo. No Instagram, a apresentadora mandou recado para Paulo Guedes, futuro Ministro da Economia, sobre notícias que circulam dizendo que o próximo governo vai cortar as verbas para o Carnaval. As notícias, entretanto, não passam de especulação.

“Ministro Paulo Guedes, caso essa notícia de cortar a verba do Carnaval seja verídica, quero deixar aqui registrado o meu desapontamento sobre essa medida ao meu ver incoerente, falta inteligência e sensibilidade da sua parte em não admitir que o Carnaval fomenta sim emprego, gera impostos, aquece o turismo”.

Ela continua e defende a importância do evento.

“O Carnaval é uma indústria que precisa SIM ser estimulada, o turismo não se vende sozinho, sem falar que o senhor está amputando uma identidade cultural do país e principalmente do Rio de Janeiro. Sou absolutamente contra. É perfeitamente possível priorizar a saúde, educação e segurança sem abortar o Carnaval”.

Para ilustrar o desabafo, ela escolheu fotos sua no Carnaval.

“Sobre as imagens, é pra registrar a minha participação e o meu amor ao maior espetáculo a céu aberto do mundo, do qual tenho a honra de dizer que faço parte e já representei as maiores escolas de samba do Carnaval carioca. Fica aqui o meu protesto”

Mas, engana-se quem pensa que o apoio dela ao Presidente Eleito diminuiu. 

“Saibam que não me arrependo de ter apoiado o Bolsonaro, mas não é porque eu o apoiei que vou achar tudo lindo, e vou vir aqui elogiar ou criticar quantas vezes eu achar necessário, não adianta você vir aqui falar bobagem”, continuou responsabilizando governos anteriores pela situação do país.