Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Últimas / Família

Após a morte do pai, Ivan Moré se emociona com o retorno ao trabalho

Apresentador fala sobre os ciclos da vida: 'Nos ensinando que tudo passa muito rápido'

Redação Contigo! Publicado em 03/09/2018, às 15h15 - Atualizado em 07/08/2019, às 17h46

Ivan Moré e o pai - Reprodução / Instagram
Ivan Moré e o pai - Reprodução / Instagram

O apresentador Ivan Moré retornou ao comando do Globo Esporte de São Paulo nesta segunda-feira (3), e falou sobre o que sentiu em uma mensagem emotiva nas redes sociais. O rapaz perdeu o pai, Ivan Moré, há poucos dias e falou sobre como foi se ver de volta ao estúdio.

“Depois de uma semana muito triste fora, estou de volta ao meu lar. ‘Ivan, meus Pêsames pelo seu pai’. ‘Obrigado e parabéns pelo nascimento do seu filho’. Essa foi a conversa que tive com um companheiro de trabalho no meu retorno à TV, hoje pela manhã. São os ciclos da vida se renovando. E nos ensinando que tudo passa muito rápido. E que o presente, como a própria palavra diz, não tem esse nome por acaso... Estou de volta e estou feliz por voltar!”, declarou.

Ivan anunciou a morte do pai na segunda-feira da semana passada com uma homenagem emocionante. “Enterrei o meu pai. 66 anos. Um cara novo, levado por uma doença devastadora. Ele é o verdadeiro Ivan Moré, sou Junior. Um velhão que morrei orgulhoso dos três filhos. Cheio de imperfeições. Não importa. Os momentos que passamos juntos foram tão, mas tão intesoso que a lembrança sempre estará viva em minha memória”, disse ela.

Para completar sua mensagem, o jornalista falou sobre os ensinamentos que recebeu do pai. “Obrigado Deus, por ter me dado ‘esse’ pai, desse jeitinho. É muito bom ser filho do ‘China’. Corinthiano doente, um cara específico, engraçado, teimoso e único. Que me ensinou a amar o futebol. Só eu, o Gui e a Tatá sabemos como foi bom ter você como pai. Tenho muito orgulho de carregar seu nome. Nossa convivência me deixou a lição de que aproveitar o tempo ao lado de quem a gente mais ama, é o maior barato da vida. Vai em paz, meu pai, querido China!”.