Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
TV / EM PUBLICAÇÃO

Marina Araújo quebra o silêncio após se tornar refém na TV Globo: "Contei histórias e deu certo"

Mais calma após os momentos de pânico que viveu, ela desabafou e relatou como foi cada detalhe

Redação Contigo! Publicado em 11/06/2020, às 10h37 - Atualizado em 25/06/2020, às 23h14

Marina Araújo quebra o silêncio após ser sequestrada - Reprodução
Marina Araújo quebra o silêncio após ser sequestrada - Reprodução

A jornalista Marina Araújo agradeceu nas redes sociais o carinho dos fãs após viver momentos de tensão dentro da sede do jornalismo da TV Globo no Rio.

Sequestrada por alguns minutos, ela foi libertada e, mais calma, agradeceu as mensagens de preocupação.

"Agradeço imensamente pelas mensagens de solidariedade e carinho, depois do episódio de hoje. Me vi em uma situação limite, incontrolável, mas tentei manter a calma. Tive fé. Falei o que podia pra acalmar os ânimos. Contei histórias e deu certo. Ninguém se feriu. Agradeço ao coronel Heitor e a Renata [Vasconcellos]...E todos que ficaram ao meu lado até eu vir pra casa, hoje", escreveu ela.

ENTENDA O CASO

Nesta quarta-feira (10), uma cena assustadora aconteceu na sede do jornalismo da TV Globo. Um homem, armado com uma faca, fez de refém a repórter Marina Araújo, que já trabalhou no Jornal da Globo e no Bem Estar e atualmente está na equipe do Jornal Nacional.

Experiente apesar de jovem, ela faz coberturas para o jornalismo da emissora, incluindo as áreas de esporte e política. Nos últimos tempos, ela atuava em temas que envolvem a cidade do Rio de Janeiro. A repórter tem uma filhinha de cinco anos chamada Maya.

Marina ficou refém do homem enquanto ele pedia a presença de Renata Vasconcellos. Segundo relatos, assim que ela chegou, ele abaixou a faca e acabou preso. Ninguém foi ferido.

O homem também trazia uma bíblia nas mãos. Segundo informações do jornalista Leo Dias, do UOL, ele chegou a conversar com Ali Kamel, diretor-geral do jornalismo da emissora.