Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
TV / TRAGÉDIA

Luto na TV: aos 45 anos, morre o apresentador Rodrigo Rodrigues

Tragédia: após contrair a Covid-19, apresentador sofreu uma trombose cerebral e não resistiu

Redação Contigo! Publicado em 28/07/2020, às 12h37 - Atualizado às 13h07

Morre o apresentador Rodrigo Rodrigues - Reprodução/TV Globo
Morre o apresentador Rodrigo Rodrigues - Reprodução/TV Globo

Faleceu nesta terça-feira, 28, o apresentador Rodrigo Rodrigues, do canal a cabo Sportv.

Ele foi diagnosticado com a Covid-19, apresentou complicações e não resistiu. No final de semana, o quadro de saúde do apresentador se agravou após uma trombose cerebral. Ele chegou a ser operado após a pressão intracraniana subir.

Com longa carreira na TV, ele estava internado no Hospital da Unimed, no Rio de Janeiro. 

Conhecido por sua paixão pela música e pelo futebol, ele foi contratado pelo Grupo Globo em 2019 após passagens por outras emissoras, entre elas a TV Cultura onde comandou o inesquecível Vitrine.

Rodrigo Rodrigues tinha 45 anos.

TRISTEZA

Desde a piora no quadro clínico do apresentador, amigos tem prestado homenagens nas redes sociais. Na edição desta segunda-feira, 27, do Redação SporTV amigos pediram orações. Na abertura da atração, Gabriela Moreira mandou um recado carinhoso ao amigo e pediu orações.

"Uma das pessoas mais carinhosas com quem eu trabalhei. Inclusive, ele me ajudou a treinar nos pilotos do SporTV. Eu estendo a todos o pedido de oração, boas energias e boas vibrações para que ele saia dessa", disse.

O jornalista Fernando Kallás, correspondente na Espanha, também se declarou ao amigo.

"Trabalhei um ano com o Rodrigo na produção do Rock in Rio, em 2000. Naquele ano, o que chamou atenção, é que ele tinha acabado de sair da televisão universitária e ele, como repórter, tão carismático que ele é, ficava amigo dos entrevistados. Era amigo do Zico, do Nelson Motta, do Evandro Mesquita. Era incrível o carisma. Ele tinha uma maturidade para aquele momento, de ele já saber o que iria fazer da carreira. Foi um dos primeiros a trabalhar de forma multimídia no Brasil", disse.

O jornalista esportivo Carlos Eduardo Mansur reiterou a personalidade carinhosa do amigo. "Torcendo muito pela recuperação dele. Um dos caras mais gentis que eu tive o prazer de conviver. Na certeza que vai dar tudo certo. Acabamos pensando em tantas famílias nessa época difícil que sofreram a mesma coisa", disse.