Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
TV / TV

Ex-repórter do SBT se pronuncia sobre processo contra pastor Valdemiro Santiago

Repórter Fofoquito fala pela primeira vez sobre processo contra pastor para receber seus pagamentos

Redação Contigo! Publicado em 21/10/2019, às 17h11 - Atualizado às 17h12

Everton Luiz Di Souza, o Fofoquito, fala sobre processo contra pastor - Instagram
Everton Luiz Di Souza, o Fofoquito, fala sobre processo contra pastor - Instagram

O repórter Everton Luiz Di Souza, o Fofoquito, decidiu se pronunciar sobre o processo que move contra o pastor Valdemiro Santiago.

Após ser noticiado que ele venceu em primeira instância e deve receber cerca de R$ 500 mil de indenização, o repórter decidiu colocar um ponto final no assunto com uma rápida declaração na web.

Em um post no Instagram, ele respondeu algumas perguntas. Para começar, Fofoquito se recusou a revelar o valor que ganhou no processo. “Não me perguntem mais isso, é muito pessoal”, afirmou.

Demitido do Fofocalizando, do SBT, o repórter também falou sobre quando volta à TV. “Talvez esse ano, talvez ano que vem”, despistou, e ainda comentou sobre o que está fazendo atualmente. “Depois de 3 anos e 2 meses, estou de férias”.

Na sequência, Everton se recusou a revelar seus próximos planos na TV e deu um conselho para os seguidores. “Não devemos contar para ninguém o que vamos fazer e com quem estamos negociando, não interessa para ninguém e ninguém precisa saber da sua vida, faça as coisas calado”.

Para finalizar, ele desabafou sobre o motivo de ter se pronunciado agora. “Respondendo tudo de uma vez só, isso que eu nem precisava responder, é só porque não aguento mais as pessoas vindo me chamar no whatsapp, no direct, no inbox, no celular...”, afirmou.

De acordo com o site Notícias da TV, Everton Luiz Di Souza entrou com o processo na justiça contra o pastor Valdemiro Santiago por causa de pagamento por direitos autorais de uma música e por ter realizado o documentário biográfico do pastor, que foi lançado em DVD. A justiça teria determinado que o repórter recebesse o valor de mais de R$ 150 mil por danos materiais e mais R$ 20 mil por danos morais. Com correção monetária, o valor teria chegado à R$ 500 mil.