Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
TV / EMOÇÃO

André Rizek não segura a emoção e chora ao noticiar a morte de Rodrigo Rodrigues: "Uma unanimidade"

Ao vivo no SporTV, jornalista não conseguiu se controlar ao falar de como ele era nos bastidores

Redação Contigo! Publicado em 28/07/2020, às 12h59 - Atualizado às 13h01

André Rizek chora ao falar de Rodrigo Rodrigues - Reprodução/TV Globo
André Rizek chora ao falar de Rodrigo Rodrigues - Reprodução/TV Globo

O jornalista André Rizek chorou na abertura do Seleção SporTV desta terça-feira, 28, ao noticiar a morte do colega Rodrigo Rodrigues.

Novo na emissora, ele conquistou espaço rapidamente e estava em ascensão no canal.

"Não é fácil, eu vou pedir um minuto de silêncio e que a gente tente fazer um programa para homenagear nosso amigo", disse ele muito emocionado.

Após o intervalo, o jornalista falou da relação que foi criando com o colega de emissora e disse que nos bastidores ele era uma unanimidade.

"Você poderia tentar não gostar do Rodrigo, mas você ia falar miseravelmente. Eu nunca conheci um colega tão unanimidade. Tem gente que acha o Cereto chato pra caramba, me acha mala, arrogante, mas acho que nunca trabalhei com alguém que tenha despertado tanto carinho, tenha levado tanto alto-astral. Ele apresentou o Seleção nas minhas férias e ele foi um sucesso absoluto. E eu falei: quem é esse cara? Todo mundo só fala bem dele. E ele me presentou com um quadro lindo do Sócrates, um livro, um DVD. E eu queria abrir um espaço para todos os amigos dos Rodrigo se pronunciarem", disse muito emocionado.

A MORTE

Rodrigo Rodrigues foi diagnosticado com a Covid-19, apresentou complicações e não resistiu. No final de semana, o quadro de saúde do apresentador se agravou após uma trombose cerebral. Ele chegou a ser operado após a pressão intracraniana subir.

Com longa carreira na TV, ele estava internado no Hospital da Unimed, no Rio de Janeiro. 

Conhecido por sua paixão pela música e pelo futebol, ele foi contratado pelo Grupo Globo em 2019 após passagens por outras emissoras, entre elas a TV Cultura onde comandou o inesquecível Vitrine.