Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Novelas / EITA!

Herdeiros da família imperial publicam nota de repúdio contra novela das seis: "Mentirosa"

Em texto, eles criticam duramente 'Nos Tempos do Imperador' e acusam novela de manchar a honra de Dom Pedro II; veja

Redação Contigo! Publicado em 28/10/2021, às 07h40

Herdeiros da família imperial publicam nota de repúdio contra 'Nos tempos do Imperador': "Mentirosa" - Reprodução/Instagram
Herdeiros da família imperial publicam nota de repúdio contra 'Nos tempos do Imperador': "Mentirosa" - Reprodução/Instagram

Herdeiros do que dizem ser a "família imperial" brasileira divulgaram nesta semana uma nota de repúdio contra a novela Nos Tempos do Imperador, uma obra de ficção exibida pela TV Globo.

Na nota, publicada nas redes sociais da organização 'Pró-Monarquia', herdeiros de Dom Pedro II criticaram o personagem que na novela das seis é vivido pelo ator Selton Mello.

"Atendendo ao apelo de pessoas amigas e daqueles que hoje constituem uma forte corrente monárquica, manifestamos, com justa indignação, não apenas como seus descendentes e herdeiros dinásticos, mas também como brasileiros que verdadeiramente amam sua Pátria e valorizam sua História, nosso repúdio aos ataques da Globo através de sua novela “Nos tempos do Imperador”, contra a honra do Imperador Dom Pedro II. Dom Pedro II foi o nosso melhor Chefe de Estado, cuja boa obra na condução dos destinos públicos do Brasil, ao longo de quase meio século de reinado pessoal, faz-se sentir até os dias de hoje. Senhor de costumes privados sabidamente ilibados, o Imperador foi também um pai de família modelar, coluna do lar, protetor suave e varonil dos seus", diz o texto.

Assinam a nota Dom Luiz de Orleans e Bragança, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Dom Antonio de Orleans e Bragança, Dona Christine de Orleans e Bragança, Dom Rafael de Orleans e Bragança e Dona Maria Gabriela de Orleans e Bragança.

"O maior biógrafo de Dom Pedro II é, sem dúvida alguma, o povo brasileiro, que, passados quase 130 anos de sua morte no injusto e penoso Exílio, não se esqueceu da grande respeitabilidade, da paternalidade e, sobretudo, da brasilidade de sua figura. Por isso mesmo, rejeita as investidas mentirosas contra a sua memória", diz o trecho final do texto.

Veja: