Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Novelas / Lembranças

Mateus Solano relembra sucesso de 'Amor à Vida' e primeiro beijo gay em novela da Globo: “Exigido pelo público”

O ator ainda falou sobre a expectativa do público para um final feliz do casal Félix e Niko; confira

Redação CONTIGO! Publicado em 18/10/2021, às 12h37

O ator ainda falou sobre a expectativa do público para um final feliz do casal Félix e Niko; confira - Reprodução/ TV Globo
O ator ainda falou sobre a expectativa do público para um final feliz do casal Félix e Niko; confira - Reprodução/ TV Globo

Mateus Solano relembrou um momento marcante de sua carreira durante uma entrevista ao É de Casa, na Globo, neste sábado (16). O ator protagonizou o o primeiro beijo gay em novelas da Globo ao lado do ator Thiago Fragoso, em Amor à Vida (2013). "Foi um grito de gol", relembrou o artista que interpretou Félix.

Durante a conversa, Solano falou sobre a expectativa do público para um final feliz do casal Félix e Niko: “A história do beijo gay foi sendo exigida pelo público apaixonado pelo Félix, primeiro, e depois pelo casal, Félix e Niko, exigindo um final feliz para esse casal. Final feliz em novela é beijo na boca. Foi uma emoção muito grande. Eu lembro de ouvir falar que foi um grito de gol“, disse o ator.

Em outro momento, o ator falou sobre as mudanças na sociedade que permitiram o acontecimento. “Eu acho que aquele público e aquela sociedade daquele momento e que subiu o ibope da novela enquanto ela estava passando, exigia que o amor fosse possível a partir daquela história”, opinou.

“Tudo isso mudou o olhar de uma sociedade. Mas eu não sei quanto isso durou, foi forte ou não, eu não sei o quanto ‘ah, isso é novela, mas meu filho não’. Realmente é uma discursão para especialistas“, ponderou Solano. “O beijo é o final de uma coisa que é construída muito antes“, completou.

DESABAFO

A cineasta Paula Braun revelou detalhes da cirurgia que fez para retirar as próteses de silicone.

Esposa do ator Mateus Solano, ela afirmou que elas enrijeceram e precisaram ser retirada às pressas. Hoje na maturidade, ela avalia a cirurgia que fez aos 26 anos de idade.

"Com a cabeça de hoje, jamais colocaria. Mas esse é um pensamento que surgiu por dois motivos. Primeiro, pela maturidade. Todas nós chegamos aos 40 com outra vivência", disse ela em entrevista para a colunista Patrícia Kogut, do jornal 'O Globo'.