Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Novelas / Eita!

Autora rebate crítica de que 'Um Lugar ao Sol' é a nova 'A Usurpadora': "Veja e me diga"

Lícia Manzo ainda falou de onde surgiu a ideia de trazer gêmeos para sua nova trama das 21h; confira

Redação CONTIGO! Publicado em 01/11/2021, às 11h45

Lícia Manzo ainda falou de onde surgiu a ideia de trazer gêmeos para sua nova trama das 21h; confira - Reprodução/TV Globo/Televisa
Lícia Manzo ainda falou de onde surgiu a ideia de trazer gêmeos para sua nova trama das 21h; confira - Reprodução/TV Globo/Televisa

Faltando uma semana para estreia, a autora de Um Lugar ao Sol está ansiosa e atenta aos cometários do público sobre a trama. Descontraída, Lícia Manzo não se incomoda com as comparações de Christian e Renato (Cauã Reymond) com outros gêmeos da ficção, sobretudo no que se refere a trama mexicana A Usurpadora (1998) . "Veja e me diga se é um remake ou não", pede a autora.

Em entrevista ao Notícias da TV, a novelista falou sobre os comentários que o público vem fazendo nas redes sociais. A história sobre um irmão que troca de lugar com outro remeteu principalmente à produção protagonizada por Gabriela Spanic na Televisa - onde a atriz se dividia entre Paulina e Paola Bracho.

A autora garante que a impressão vai se desfazer já no primeiro capítulo. "Para mim, a troca não é o mais importante, porque se fosse assim, aí teria uma 'lua' em A Usurpadora. Estou muito mais interessada na repercussão desse fato, no jogo subjetivo por trás dessa equação", pontou.

Segundo a autora, o foco está muito mais no peso que Christian carrega por ter se apoderado da vida do irmão rico. "É uma pessoa que está aprisionada em um corpo que não é o seu, querendo fugir dali de qualquer maneira, sem saber como romper a farsa", analisa ela.

A roteirista nem sequer imaginava ter gêmeos nos primeiros esboços. A ideia surgiu quando ela se deparou com o documentário Meus 18 Anos (2018), sobre órfãos forçados a deixarem os seus abrigos ao chegarem à maioridade.

São jovens que querem estudar, fazer a diferença, mas será que conseguiriam no Brasil que a gente tem hoje? E qual o prejuízo de ter que abrir mão desses sonhos por 18 anos? Eu comecei a perseguir esse protagonista que também deixa um abrigo, que quer a vida que lhe foi negada, mas faltava o folhetinesco. Fui buscar na história do duplo".

Por fim, Lícia explica de onde veio a ideia de colocar gêmeos em sua obra. "Então, quando fiz o cálculo, nem me lembrei de novelas como O Clone [2001] ou Mulheres de Areia [1993], que são ótimas e estão aí até hoje no nosso imaginário", diz a novelista, que vai além: "No Brasil, as oportunidades são roubadas diariamente de parte da população, então é legítimo que eles olhem para o outro com cobiça. Eu apenas fui atrás dessa história, que nasceu de uma necessidade minha e que é verdadeira para mim."

Um Lugar ao Sol estreia em 8 de novembro e é a primeira obra de Lícia Manzo a estrear na faixa das 21h na Globo. Com direção de Maurício Farias, o núcleo principal conta ainda com Alinne MoraesAndréia Horta, Marco Ricca, Denise Fraga, José de Abreu, Mariana Lima e Marieta Severo.

PARCERIA EM FAMÍLIA

Pável Reymond, irmão mais novo de Cauã Reymond por parte de mãe, fará sua estreia na TV em Um Lugar ao Sol. O rapaz atuará como dublê do protagonista do folhetim de Lícia Manzonas cenas que envolveram os gêmeos Christian e Renato. "Foi um aprendizado gigante, uma honra contracenar com tanta gente consagrada", declarou.

Nesta terça-feira (19), o ator que estará na próxima novela inédita da Globo falou como está entusiasmado para a estreia. "Estou bem ansioso. A expectativa é grande, não é todo dia que a gente estreia na TV na novela das nove. Ainda mais ao lado do irmão. Foi uma experiência incrível", afirmou ele.