Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Novelas / CHEGA HOJE

Atriz demitida, censura de cenas, vilão que se redimiu: as curiosidades de 'Roda de Fogo', estreia do Globoplay

História de redenção e poder, novela também transformou Renata Sorrah e Bruna Lombardi em ícones de estilo

Redação Contigo! Publicado em 26/04/2021, às 12h36

Atriz demitida, censura de cenas, vilão que se redimiu: as curiosidades de 'Roda de Fogo', estreia do Globoplay - TV Globo
Atriz demitida, censura de cenas, vilão que se redimiu: as curiosidades de 'Roda de Fogo', estreia do Globoplay - TV Globo

Estreia do catálogo do Globoplay nesta segunda-feira (26), a novela Roda de Fogo teve um início turbulento. Isso porque a produção da trama começou com uma desavença entre o diretor Paulo Ubiratan e a atriz Lúcia Veríssimo, escalada para um dos principais personagens da novela.

Ela acabou demitida no meio das gravações após supostamente protagonizar uma série de atrasos e crises de estrelismo nos bastidores. O destino da personagem foi improvisado: Laiz, que era irmã de uma das protagonistas, viajou para fora do Brasil e nunca mais voltou.

Esta, porém, não foi a única polêmica que marcou a história da novela. Exibida já nos momentos finais da Ditadura Militar, a trama sofreu com respingos da censura. Um dos diálogos, entre Carolina (Renata Sorrah) e Mário Liberato (Cecil Thiré), sequer foi ao ar. O motivo? A menção à homossexualidade não agradou os censores que consideraram a frase imprópria.

Em outra sequência cortada, Tabaco (Osmar Prado) e Bel (Inês Galvão) protagonizaram cenas quentes em um sofá após a personagem retornar de um desfile de escola de samba. A cena aparentemente banal foi sumariamente censurada pelos membros do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS).

MAIS CURIOSIDADES

Roda de Fogo marcou o retorno de Osmar Prado à emissora após um longo período afastado de produções gravadas no Projac.

O visual de Renata Sorrah como a perua Carolina virou hit no Brasil: com os cabelos alongados com um megahair e um trança embutida arrematada com um laço de veludo, ela virou inspiração para socialites.

O corte de cabelo tipo chanel e os casacos tipo trench coat de Lúcia Brandão (Bruna Lombardi) também conquistaram o público na época.

A novela foi um sucesso comercial. Acabou vendida por mais de quatro dezenas de países, entre eles Alemanha, Canadá, França, Itália, Marrocos, Romênia, Rússia, Cingapura e Suíça.

A novela foi reprisada apenas uma vez na TV, há mais de duas décadas. A novela foi reapresentada entre 21/05 e 06/07/1990, no Vale a Pena Ver de Novo.

O vilão Renato Villar (Tarcísio Meira), caiu as graças do público e precisou ser salvo pelos autores que atenderam um pedido de José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, que pediu um final feliz ao personagem.

A música de abertura, Pra Começar, composta por Marina Lima e Antonio Cícero, só foi aparecer em um disco da cantora em 2018, mais de três décadas após a novela ser exibida. "A letra era muito progressista. Tocou muito na rádio, foi uma loucura", declarou ela ao Vídeo Show em 2015.

Roda de Fogo está disponível na íntegra no Globoplay.