Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
Notícias / Perigoso

Rua afunda e causa pânico em cidade do RS em meio a sete mortes

Gramado, cidade do Rio Grande do Sul onde já morreram sete pessoas por causa de deslizamentos recentes, teve uma rua afundada

Guilherme Rodrigues Publicado em 13/05/2024, às 10h31

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Rua de Gramado, no Rio Grande do Sul, que afundou - Reprodução/Globo
Rua de Gramado, no Rio Grande do Sul, que afundou - Reprodução/Globo

O Rio Grande do Sul segue sofrendo as consequências das fortes chuvas que tomaram conta do estado nas últimas semanas e que causaram destruição. Em Gramado, cidade da Região da Serra, uma rua afundou e os moradores tiveram que sair de suas casas.

A situação aconteceu na rua Henrique Bertoluci, no bairro Piratini. De acordo com o G1, a prefeitura afirmou que uma infiltração causada pela chuva foi o que ocasionou o afundamento. No município, sete pessoas morreram por causa de desmoronamento de terra nos últimos dias.

Piratini, Três Pinheiros, Centro, Bavária, Planalto, Várzea Grande, linha Quilombo, Serra Grande, Estrada do Moreira, Bonita e Morro Redondo foram os locais e bairros que a Defesa Civil do RS já pediu para acontecer evacuação no interior por causa de riscos.

De acordo com último boletim, já são 147 mortes em decorrência da catástrofe. O número de desaparecidos está em 127 e 806 pessoas estão feridas. Cerca de 619 mil pessoas estão fora de suas casas, sendo mais de 81 mil em abrigos e 538 mil desalojadas, na casa de amigos ou parentes.

Na última quarta-feira (8), um resgate inusitado foi realizado. Cecília, uma senhora de 96 anos que sobreviveu a enchente que aconteceu em 1941 em Porto Alegre, dessa fez estava passando pela mesma experiência mais de 80 anos depois.

“Essa daí foi a diferente de hoje. Nós vamos levar a vó, que passou pela enchente de 1941 e agora tá nessa de 2024. Ela disse que tinha 12 anos quando teve a enchente, que ela começou a trabalhar na época. E hoje ela está participando dessa. Nós estamos tirando ela aqui do prédio”, disse Raony Gonçalves numa gravação na qual aparece com outro homem fazendo o resgate.

Em 1941, a inundação deixou mais de 70 mil pessoas desabrigadas. O Muro da Mauá, conhecido no estado, foi construído após o desastre para tentar impedir que algo de tamanha proporção voltasse a acontecer.