Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!

Policial de 21 anos encontrado morto no Guarujá foi torturado, aponta delegado

Luca Romano teve uma morte violenta, segundo autoridades policiais. Agente estava desaparecido há mais de um mês

Redação Contigo! Publicado em 21/05/2024, às 20h10 - Atualizado às 20h39

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Foto: Reprodução/Record
Foto: Reprodução/Record

Luca Romano (21), policial militar encontrado morto no alto de um morro em Guarujá, litoral paulista, nesta segunda-feira, 20, foi torturado até a morte. Segundo Rubens Barazal, delegado da Seccional de Santos, não há dúvidas sobre a forma cruel em que tiraram a vida do jovem. 

"Com certeza houve torura", afirma o profissional em entrevista ao Brasil Urgente, da Band. "Ele foi cortado, foi queimado e teve alguns membros fraturados. Foi uma morte, infelizmente, bem dolorosa", completa Fabiano Barbeiro, da Deix (Divisão Especializada de Investigações Criminais)

O gente estava desaparecido há mais de um mês após ter sido visto pela última vez em uma região considerada perigosa para profissionais da sua categoria.

De acordo com informações do Balanço Geral SP, da Record, Romano estaria de folga e saiu para se divertir com amigos em uma adega na comunidade de Santo Antônio. Câmeras de monitoramento filmaram o agente pela última vez acompanhando um homem desconhecido até uma biqueira.

De início, ele não teria sido reconhecido como um policial, mas segundo o apresentador Reinaldo Gottino, a hipótese mais forte é a de que pessoas possivelmente podem ter o reconhecido e alertado os criminosos.

A Polícia Militar já trabalhava nas buscas há algumas semanas. Um balanço mostra que oito corpos já haviam sido encontrados nesse período e nove pessoas foram presas, o que deixava a família de Luca angustaiada. O pai dele e o irmão também são policiais. 

O corpo de Romano foi encontrado enrolado em uma lona em uma área de mata em morro na comunidade de Vila Baina. O corpo, identificado com o auxílio das tatuagens, não estava em avançado estado de decomposição. Exames agora devem mostrar há quantos dias o policial teria sido morto. 

Os policiais do 1º e 5º Distritos Policiais andaram cerca de duas horas para chegar ao local de difícil acesso. Luca foi encontrado com sinais de tortura.