Contigo!
Busca
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Youtube Contigo!Tiktok Contigo!Spotify Contigo!
Notícias / HERÓIS

Idosa em coma é resgatada em colchão por Bombeiros no RS

Idosa de 70 anos em coma foi encaminhada para um hospital após resgate dramático

Redação Contigo! Publicado em 16/05/2024, às 15h37 - Atualizado às 16h11

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem ilustrativa - Foto: Reprodução/Globo
Imagem ilustrativa - Foto: Reprodução/Globo

As chuvas e enchentes que atingiram o Rio Grande do Sul nas duas últimas semanas já vitimaram 151 pessoas, segundo a Defesa Civil divulgou nesta quinta-feira, 16. Outras 104 pessoas ainda estão desaparecidas e milhares estão desabrigadas. Ao todo, 615,3 mil pessoas perderam tudo ou estão desalojadas.

Entre as estatísticas, histórias de resgates que ficarão marcados para sempre na memória dos profissionais voluntários que estão atuando diretamente em cidades do estado. 

Rudinei Silva dos Santos, comandante dos Bombeiros voluntários de Eldorado do Sul, foi responsável por resgatar uma idosa de 70 anos que estava em coma em uma casa ilhada com um colchão. A filha da mulher, em outro município, acionou o socorro por telefone. 

A idosa estava acompanhada de uma cuidadora no momento em que a água invadiu a casa e começou a subir descontroladamente. Após coletar as informações necessárias sobre as condições em que se encontrava a mulher, o bombeiro vestiu uma roupa de mergulho e seguiu com um barco a remo acompanhado da sua equipe para o resgate. 

"Entrei primeiro para verificar a situação. A gente faz uma análise de toda a cinemática e aí retornamos para a equipe. Como a gente verificou que seria possível passar o colchão pela porta onde ela estava, entramos e deixamos o barco ancorado próximo à entrada da casa", relata ele em entrevista à BBC News. 

Rudinei e seus colegas de equipe correram contra o tempo. O colchão em que a idosa estava em coma e ligada a aparelhos enquanto recebia oxigenoterapia já começava a boiar. De acordo com o agente, foi preciso dobrar as laterais do colchão para conseguir passar pela porta e levá-la ao barco. 

"Colocamos ela em cima do colchão novamente e fomos puxando o colchão sobre a água, cuidando para que ele não afundasse. Levá-la de barco até o hospital também foi um desafio, um desafio colocá-la em cima do barco. Sem dizer que esse não é o meio mais adequado para fazer o transporte de uma vítima com essa necessidade", descreve. 

A mulher foi colocada em uma ambulândia após trajeto feito com o colchão em cima do barco até uma área rasa e levada a um hospital.