famosos   / EMOÇÃO

Rodrigo Santoro completa 45 anos e Mel Fronckowiak agradece: ''Eu não sabia o que era o amor''

Juntos há oito anos, casal comemora a data esbanjando carinho e amor nas redes sociais

Redação Contigo! Publicado sábado 22 agosto, 2020

Juntos há oito anos, casal comemora a data esbanjando carinho e amor nas redes sociais
Mel Fronckowiak comemora aniversário de Rodrigo Santoro - Reprodução/Instagram

 A bela Mel Fronckowiak emocionou os fãs ao comemorar o aniversário de 45 anos do marido, Rodrigo Santoro.

Em uma publicação nas redes sociais neste sábado, 22, ela abriu o coração.

“Quando eu te conheci, eu ainda não sabia exatamente o que era o amor. Esse tipo de amor, que a gente não decide sentir, mas depois que sente, decide com toda a nossa força, manter. A gente foi se enamorando vagarosamente, deu tempo de criar raízes profundas pela terra de nós dois. O rio sempre lubrificando nossas curvas, nos convidando a fluir. Quando vimos já estávamos. Suspensos. Dizendo 'eu te amo' enquanto estouravam os fogos no céu. Era ano novo. Ano novo para o nosso amor. Vida nova para a gente”, escreveu.

A atriz e apresentadora ainda publicou um texto emocionante sobre como foi descobrindo o sentimento ao lado do galã.

"Há 8 fogos no céu eu te celebro. E tenho aprendido a amar você na sua completude. Suas qualidades, seus defeitos, minhas qualidades e defeitos refletidos em você. Hoje, mais do que nunca, nossas mãos dadas se entrelaçam. Quase que não dá mais pra saber onde acaba a mão de quem. Mas elas seguem lá, separadas, misturadas, comprometidas em ser o apoio um do outro, o aplauso, a mão que seca a lágrima pra tentar tirar a dor, a mão que evita o tombo ou que ajuda a levantar do chão. Que os anos se multipliquem mais e mais. E que a gente continue se devorando, no sentido mais profundo da palavra, porque o amor é a fome mais latente de todas.Te amo tanto", declarou ela.

Os dois estão juntos há oito anos.

Veja!

Ver essa foto no Instagram

Quando eu te conheci eu ainda não sabia exatamente o que era o amor. Esse tipo de amor, que a gente não decide sentir, mas depois que sente, decide com toda a nossa força, manter. A gente foi se enamorando vagarosamente, deu tempo de criar raizes profundas pela terra de nós dois. O rio sempre lubrificando nossas curvas, nos convidando a fluir. Quando vimos já estávamos. Suspensos. Dizendo “eu te amo” enquanto estouravam os fogos no céu. Era ano novo. Ano novo para o nosso amor. Vida nova para a gente. Há 8 fogos no céu eu te celebro. E tenho aprendido a amar você na sua completude. Suas qualidades, seus defeitos, minhas qualidades e defeitos refletidos em você. Hoje, mais do que nunca, nossas mãos dadas se entrelaçam. Quase que não dá mais pra saber onde acaba a mão de quem. Mas elas seguem lá, separadas, misturadas, comprometidas em ser o apoio um do outro, o aplauso, a mão que seca a lágrima pra tentar tirar a dor, a mão que evita o tombo ou que ajuda a levantar do chão. Que os anos se multipliquem mais e mais. E que a gente continue se devorando, no sentido mais profundo da palavra, porque o amor é a fome mais latente de todas. Te amo tanto

Uma publicação compartilhada por Mel Fronckowiak (@melfronck) em

Último acesso: 27 Nov 2020 - 19:44:43 (1121246).