Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!Spotify Contigo!
Famosos / DECLARAÇÃO

O drama de Nair Bello após a morte trágica do filho e a carta psicografada por Chico Xavier

20 anos após a morte de Chico Xavier, relembre a emoção da atriz ao relatar o episódio

Redação Contigo! Publicado em 30/06/2022, às 14h52

O drama de Nair Bello após a morte trágica do filho e a carta de Chico Xavier - Reprodução/Instagram/ SBT
O drama de Nair Bello após a morte trágica do filho e a carta de Chico Xavier - Reprodução/Instagram/ SBT

No dia em que a morte de Chico Xavier completa 20 anos, uma história do passado do médium veio à tona. É que ele foi fundamental no processo de luto da atriz Nair Bello.

Em 1975, ela perdeu o filho Manoel Francisco de apenas 20 anos. Ele bateu o carro em uma árvore, chegou a ser socorrido, ficou em coma, mas não resistiu.

Em uma entrevista ao SBT em 1995, ela relembrou o episódio trágico de seu passado. "Foi uma coisa muito dolorosa, a gente nunca consegue superar, mas por entender a vida espiritual e receber a carta do Chico Xavier, tudo me ajudou a viver", afirmou ela.

O médium psicografou uma carta com detalhes do filho.  "Meu marido era espírita, lia todos os livros. É uma dor que na hora você não pensa em nada, é um pedaço de você", conta ela que procurou o religioso em Uberada, em Minas Gerais em várias oportunidades.

Na quarta vez ele começou a psicografar a carta. "O trecho que só eu lembrei e que fiquei comovida foi que a gente estava jantando e combinando de ir passar o Natal em Limeira, combinando que dia nós iamos. E ele falou: "eu não vou". E eu perguntei porquê. Tivemos uma discussão e a carta conta esse trecho, dizendo que eu tinha falado com ele", afirma ela lembrando que o filho não foi porque morreu dias antes. 

PROFECIA SE CUMPRIU

No dia em que a morte de Chico Xavier completa 20 anos, a atriz Ana Rosa revelou um detalhe curioso sobre sua trajetória. É que ela disse que no último encontro com o médium ouviu uma profecia.

Segundo ela, o encontro aconteceu em Uberaba, em Minas Gerais, quando ela estava em cartaz com a adaptação ao teatro de Violetas na Janela, livro fundamental para o espiritismo.  

"Uma vez estivemos em Uberaba (Minas Gerais) com o espetáculo “Violetas na janela” e fomos até a casa dele. Tomamos aquele famoso chá que ele sempre convidava e ele nos disse uma coisa que até hoje lembramos, foi quase como uma profecia: “(A peça) vai ficar muitos anos. Vocês estão colocando violetas em uma janela de luz”', relembra a atriz em entrevista ao jornal 'Extra'.