Contigo!
Facebook Contigo!Twitter Contigo!Instagram Contigo!
Famosos / POLÊMICA

Juliana Caldas cai no choro ao denunciar preconceito em filme de Leandro Hassum

Juliana Caldas apontou intolerância com pessoas com nanismo no longa 'Amor Sem Medida' de Leandro Hassum

Redação Contigo! Publicado em 01/12/2021, às 13h54

Juliana Caldas cai no choro ao denunciar preconceito em filme de Leandro Hassum - Reprodução/Instagram
Juliana Caldas cai no choro ao denunciar preconceito em filme de Leandro Hassum - Reprodução/Instagram

A atriz Juliana Caldas surgiu desapontada na web nesta terça-feira (30) após assistir o novo filme estrelado por Leandro HassumAmor Sem Medida, disponível em uma plataforma de streaming. 

O longa-metragem dirigido por Ale McHaddo aborda o romance entre uma advogada, interpretada por Juliana Paes, e um médico de baixa estatura, feito por Leandro Hassum. Porém, o que deixou a atriz de O Outro Lado do Paraíso intrigada foi ver que a produção utilizou computação gráfica para "diminuir" a altura do humorista. 

Em seu Instagram, Juliana Caldas detonou a atitude dos produtores, denunciou preconceito e acabou chorando ao falar do assunto. "Estou aqui gravando esse vídeo para falar sobre um filme. Na verdade, para dar a minha opinião sobre um filme que está na Netflix, um filme brasileiro que aborda o tema nanismo. Nossa, bacana! Só que não...", começou ela.

A atriz apontou a importância da representatividade nos dias atuais e disse que não se sentiu nem um pouco representada pelo filme nacional: "Primeiro porque a pessoa que faz o personagem que tem nanismo... o ator não tem nanismo, que é o próprio Leandro Hassum. Eles fizeram computação gráfica, diminuíram em computação gráfica, essas coisas, para mostrar que ele tem baixa estatura. E, depois disso, a maior parte do filme tem piadas totalmente capacitistas, totalmente preconceituosas e que, cara... Não dá para aceitar hoje em dia."

Juliana Caldas ainda disse que se o preconceito abordado fosse racial ou de gênero, o longa não seria bem aceito e o assunto estaria sendo "levado a sério". "E não dá assim. Não dá mais para aceitar hoje mais um filme que faz você sentar e rir disso, rir dos outros, rir da condição do outro, sabe? No caso, né, da deficiência do nanismo. O nanismo é considerado uma deficiência. Aí você rir disso hoje em dia não dá mais para aceitar", detonou ela.

A atriz ainda revelou que não conseguiu assistir o filme inteiro devido à falta de empatia da produção. A artista chegou a abordar seu trabalho em O Outro Lado do Paraíso, enfatizando a importância de sua personagem que sofria preconceito por ser anã: "Não se dava margem e abertura para você rir disso. Pelo contrário. Se dava abertura de você questionar, sim, sobre muitas coisas e para pensar o quanto isso fere o próximo. Você é chamado de monstrengo, você comparando ou infantilizando a pessoa com nanismo."

FAMÍLIA

Juliana Caldas encantou os fãs ao comemorar o aniversário de seu irmão. Ela comemorou mais um ano de vida de Fernando Caldas, seu fiel escudeiro

Veja: